Colégio Web

Conselho de Medicina alega que faculdade está fazendo vestibular sem aval do MEC

Publicidade

Uma instituição de ensino estaria promovendo um vestibular para o curso de medicina sem os devidos avais do Ministério da Educação. Pelo menos é esta a denúncia que está sendo feita pelo Conselho Regional de Medicina em Goiás (Cremego).

Conselho de Medicina alega que faculdade está fazendo vestibular sem aval do MEC

De acordo com as informações que foram concedidas pelos representantes do Conselho de medicina do estado, a Faculdade Alfredo Nasser (Unifan) teria tido o pedido de abertura do curso de medicina negado pelo MEC. Mas mesmo assim a seleção vestibular para os novos alunos foi organizada, sendo que as provas estão marcadas para o próximo domingo, dia 7.

Nota baixa

Para que uma faculdade abra um curso de medicina no Brasil é necessário conseguir uma aprovação do Conselho Nacional de Saúde. Além disso o programa do curso deve obter uma nota igual ou maior do que 3 em uma avaliação feita pelo Ministério da Educação. Mas de acordo com a denúncia do Conselho Regional de Medicina, o curso proposto pela instituição de ensino recebeu notas de 1 a 2 em diversos quesitos.

Conselho de Medicina alega que faculdade está fazendo vestibular sem aval do MEC 2

O MEC também confirmou para a imprensa que negou o pedido de abertura do curso de medicina da instituição. As informações sobre as razões pelas quais o pedido não foi aceito estão na Portaria 236, de 15 de abril de 2014, publicada no DOU de 16 de abril deste ano. Depois desta publicação a instituição entrou com um pedido de recurso, mas ele ainda está sendo analisado.

Já a instituição alega que o vestibular será realizado com base em uma decisão emitida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª região, que autorizou o curso de medicina na instituição. Mas esta decisão foi emitida em caráter liminar, ou seja, não é uma decisão definitiva.

Mesmo com a decisão favorável da Justiça, caso o curso não seja reconhecido pelo MEC os estudantes correm o risco de não conseguirem ter um diploma válido ao final do curso de medicina, o que vai impedir que eles exerçam a profissão.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados