Colégio Web

35,95% do PIB brasileiro foi composto de impostos

Publicidade

A carga tributária, não é de hoje é considerada extremamente pesada, sendo que até um mecanismo que mede o crescimento dos impostos ao longo do ano foi criado com a finalidade de mostrar o seu peso na vida do brasileiro, o Impostômetro.

E para deixar as coisas ainda piores, por conta da grande quantidade de impostos brasileiros, os preços de produtos ficam muito mais altos por aqui do que em outros lugares do mundo.

E para completar a tragédia, se isto já não fosse suficiente, a contrapartida, que seriam serviços públicos de qualidade simplesmente não existe, já que a qualidade dos serviços de saúde, transporte e educação é sofrível.

Em resumo, o brasileiro sofre pagando imposto para praticamente tudo, e simplesmente não consegue enxergar para onde vai este dinheiro, já que não recebe serviço de qualidade como retorno pelo que paga.

Um dado deverá deixar o brasileiro ainda mais chateado e irritado com a pesada carga tributária que assola o país atualmente: foi divulgado que nada menos do que 35,95% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro é composto de impostos. Entenda!

Impostometro

Dados de 2013

Os dados foram divulgados oficialmente pela Secretaria da Receita Federal na última sexta-feira, dia 18 de dezembro, e indicam números alarmantes para o contribuinte brasileiro.

Estes dados apontam que de toda a riqueza produzida no Brasil durante o ano de 2013, nada menos do que 35,95% é originada pelo pagamento de impostos, que foram pagos tanto por pessoas comuns, quanto por empresas.

Este número assombroso mostrou que o Brasil conseguiu quebrar um novo recorde negativo em sua História, já que arrecadou mais impostos em 2013 do que em qualquer outro ano (e este recorde deverá ser quebrado em 2014).

Sem retorno

Leão Imposto 2014

O problema maior não é ter uma carga tributária que supera a maior parte dos países do mundo, como os Estados Unidos ou a Turquia, o pior é ter uma carga tributária menor que a de países como a Suécia ou a Noruega.

Isto porque, nestes países, apesar dos altíssimos impostos, os cidadãos têm a contrapartida de receber serviços públicos de altíssima qualidade, o que não ocorre no Brasil.

O cidadão brasileiro paga impostos como um escandinavo, mas recebe serviços que em muitos casos, conseguem ser piores do que os serviços que são oferecidos em alguns dos países mais pobres do mundo. Ou seja, uma verdadeira tragédia que, ao que tudo indica, está longe de acabar.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados