Colégio Web

27 cursos de medicina são mal avaliados pelo MEC

Publicidade

O Ministério da Educação divulgou nesta semana o resultado da mais recente avaliação feita em diversos cursos de nível superior. O destaque negativo do relatório foi para o alto número de cursos de medicina que acabaram recebendo uma nota negativa. 27 programas de graduação nesta carreira foram mal avaliados pelo governo.

27 cursos de medicina são mal avaliados pelo MEC

De acordo com o MEC, neste recente programa foram avaliados um total de 154 cursos da área de medicina. Estes 27 acabaram recebendo nota 2, em uma escala que vai de 1 até 5. Nesta avaliação também estão inclusas as notas que os estudantes conseguiram na última edição do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, o Enade.

Dos cursos de medicina que foram reprovados, cinco deles são de universidades federais: Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Outros cursos

27 cursos de medicina são mal avaliados pelo MEC 2

Além dos cursos de medicina que apareceram mal avaliados, o MEC realizou pesquisa também com cursos de outras carreiras como agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, gisioterapia, fonoaudiologia, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social e zootecnia, e ainda curso tecnológicos em agronegócio, gestão hospitalar, gestão ambiental e radiologia.

Um total de 354 instituições públicas e privadas, levando em consideração todas as avaliações que foram feitas, acabaram recebendo notas baixas nesta avaliação feita pelo MEC.

Defesa

Algumas instituições acabaram se manifestando imediatamente após a divulgação dos resultados negativos, especialmente em relação as faculdades de medicina inseridas dentro de Universidades públicas. A UFRGS, por exemplo, declarou que o curso de medicina ficou com uma nota baixa devido a um movimento de boicote ao Enade realizado pelos alunos do curso.

A UFPel declarou que o resultado é um reflexo imediato do processo de adaptação dos estudantes em uma nova estrutura. Já a UFSJ se defendeu afirmando que a nota do MEC não representa a realidade do curso.

O Enade também foi apontado como o principal problema pela UFPA, que afirmou ter enfrentado um problema no cadastro dos seus alunos.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados