Colégio Web

Músicas brasileiras de protesto

Enquanto a Ditadura Militar reprimia 99% da população, alguns destemidos criavam canções para mudar a situação. Conheça 5 Músicas brasileiras de protesto!

Publicidade

Hoje em dia, muito se fala do Rap com suas músicas com letras fortes e que lançam luz sobre a dura realidade das periferias brasileiras. Pois houve um tempo em que não era possível falar de modo tão claro sobre as questões sociais e políticas que afetavam o país. Houve um tempo em que a censura proibia qualquer letra diretamente considerada ofensiva aos militares e à sua ditadura.

Pois aqui, listamos aquelas que são consideradas por muitos como as melhores músicas de protesto já feitas no Brasil. E isso se deve não apenas à musicalidade que essas melodias contem, mas principalmente por representarem toda a criatividade brasileira, já que foram feitas em uma época que não permitia que se falasse abertamente sobre quase nada.

5 Músicas brasileiras de protesto

Músicas brasileiras de protesto

5# – Alegria, Alegria

Lançada em 1967, Alegria, Alegria, de Caetano Veloso é considerada por muitos como um dos melhores exemplos de música de protesto, já que criticava de modo irônico o abuso de poder e a truculência do regime militar, bem como as péssimas condições do sistema educacional brasileiro.

4# – Cálice

Escrita em 1973 por Chico Buarque, essa canção faz alusão à famosa oração que Jesus Cristo teria feito dirigida ao próprio Deus no Jardim do Getsêmane. Na oração Jesus dizia “Pai, afasta de mim esse cálice”. Chico alterou o sentido da letra ao utilizar a mesma sonoridade das palavras “cálice” e “cale-se”, dando à música os contornos que são conhecidos ainda de música de protesto contra o regime militar, em uma época onde se pronunciar sobre algo poderia significar perder a vida, por isso, talvez fosse melhor se calar. Chico não se calou.

3# – Apesar de você

Essa é outra canção de Chico Buarque da década de 70. Foi escrita durante o governo do General Médici e se utilizou de metáforas sobre uma briga de casal, onde a mulher seria muito autoritária para driblar os censores do governo. O disco foi gravado e a canção lançada, porém os oficiais da censura perceberam o real significado e logo proibiram as rádios de tocá-la.

2# – Mosca na sopa

Escrita por Raul Seixas em 1973, sua interpretação é assunto de controvérsias entre os críticos. O significado mais usado é o de que a “mosca” seria o povo e a “sopa” seria o governo militar. No contexto da música, a “mosca” incomoda, não pode ser eliminada em definitivo e representaria todos àqueles que se inflamam contra governos opressores. Uma grande sacada de Raulzito.

1# – Pra não dizer que não falei de flores

Escrita por Geraldo Vandré em 1968, essa música é considerada por muitos como a mais emblemática música de protesto brasileira, pois traduz de modo fiel o sentimento daqueles tempos, onde hippies acreditavam ser possível vencer os canhões da policia e do exercito. Geraldo Vandré foi um dos primeiros alvos da censura do governo militar e também um dos primeiros artistas a serem abertamente perseguidos pelo regime. O seu refrão “vem vamos embora que esperar não saber, quem sabe faz a hora, não espera acontecer” é cantado até os dias de hoje por todos os que lutam por alguma causa.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados