Colégio Web

Como vivem os anelídeos?

2Um anelídeo é o tipo de espécie que pertence ao grupo e filo Annelida. Possui um corpo ligeiramente alongado e estrutura cilíndrica. Diversos anéis que ficam dispostos em seqüência. Daí o nome de filo. Os anelídeos são espécies que podem ser localizadas em espaços aquáticos, especialmente os de água salgada. Também se faz presente em ambientes de água doce, pois prefere a umidade à terra firme. Minhocas, sanguessugas, poliquetos são alguns dos animais que pertencem a esse grupo.

Publicidade

A minhoca, por exemplo, é um animal que respira por meio da pele. É a chamada respiração cutânea. Por conta dessa característica, sempre a observamos com a pele molhada. É esse traço que vai permitir a proliferação dos diversos gases respiratórios, como o oxigênio e o gás carbônico. A minhoca pode crescer a até 5 cm a 2 m de comprimento. No solo úmido ou água doce, usa as cerdas do corpo para se proteger. Quando aproximamos a nossa pele desse animal, sentimos como são as cerdas são eficientes na função de apoiá-las no solo e facilitar a movimentação.

A minhoca é essencial para o equilíbrio da natureza, pois interfere positivamente nos processos de decomposição do material orgânico do planeta. É ela quem escava determinados túneis que vão permitir a devida oxigenação das raízes de outras plantas e mesmo suas fezes, que servirão de adubo para o solo. Ao longo do dia, as minhocas costumam permanecer abrigadas em túneis e só saem de tais superfícies quando a noite chega. Aí, curtem o seu momento de alimentação ou mesmo acasalamento.

Outras espécies de anelídeos

1O poliqueto é uma outra espécie de anelídeo que acaba sendo encontrado com maior freqüência no ambiente marinho. Há alguns deles que gostam de se rastejar por áreas profundas do oceano. Em tais regiões, estão sempre à procura de outros seres vivos pelos quais conseguirão saciar sua fome. Já outros poliquetos ficam enterrados em espaços de praia e passam a se alimentar de pequenos organismos e larvas. O poliqueto, da mesma forma que a minhoca, possui várias cerdas que são chamadas de parapódios que ajudam no processo de locomoção. Há alguns poliquetos que fazem respiração cutânea ou branquial.

A sanguessuga é um tipo de anelídeo que se faz mais presente em regiões de água doce, mas também pode ser localizada em regiões de brejo ou pântano. O nome sanguessuga foi pensado em função do fato desse anelídeo gostar de usar o sangue de animais vertebrados como seu principal alimento. Da mesma forma que os outros dois anelídeos citados acima, respira pela via cutânea.

A diferença da sanguessuga em relação aos outros dois anelídeos está no fato dela não possuir cerda ou parapódio e sim duas ventosas em cada extremidade. A ventosa auxilia na fixação e locomoção. Ao encontrar suas vítimas, as sanguessugas usam as ventosas para garantir a predação e perfurar a pele atacada. Não há observação de dor, mas a glândula salivar da sanguessuga já iniciou seu processo de retirada do sangue. Nesse momento, produz um tipo de substância anticoagulante que vai impedir que a vítima tenha o sangue coagulado. Assim, a espécie alimenta-se de forma tranqüila.

Há uma curiosidade em relação a tal espécie: comenta-se que alguns indivíduos gostam de utilizar a sanguessuga para retirar o sangue de algumas pessoas na expectativa de que haja cura de algumas doenças. Como exemplo desse uso observamos que a saliva da sanguessuga é usada para tratamento de trombose. Há ainda aqueles que gostam de usar o anelídeo para a retirada de sangue acumulado em processos cirúrgicos.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados