Colégio Web

Estudo revela que pessoas que abraçam mais sofrem menos de estresse e depressão

O ato de abraçar poderá diminuir diversas chances de contrair uma infecção.

Publicidade

Certamente um abraço carinhoso é uma delícia, e este ato pode fazer muito bem para a saúde. Estudos apontam que testes para descobrir se os abraços podem funcionar como o apoio emocional e se teria a capacidade de combater o estresse amenizando os sintomas foram realizados recentemente, e os resultados foram surpreendentes.

A pesquisa foi encomendada pela  Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, e foi publicado juntamente com a Psychological Science.

Sabemos bem que as pessoas que acabam enfrentando conflitos possuem uma menor capacidade de lidar com efeitos de gripe, por exemplo. Da mesma forma que sabemos que as pessoas admitem contar com apoio social e são protegidas de forma parcial de efeitos do estresse, nos estados de ansiedade e de depressão.

Como foi realizada a pesquisa?

Nesta pesquisa foram analisados pelo menos 404 adultos saudáveis que passaram por 14 entrevistas diárias onde eram verificadas as frequência dos conflitos que foram vivenciados e também de abraços. Posteriormente os participantes acabaram sendo expostos ao vírus da gripe, sendo assim colocados em quarentena e monitorados para os pesquisadores analisarem a evolução desta doença.

A partir disto, foi percebido que um terço das pessoas não desenvolveu os devidos sintomas de gripe, e foram estes inclusive que tinham recebido mais abraços e apoios de outras pessoas. Os participantes infectados inclusive, que tinham um nível mais alto de apoio social, foi possível perceber que os sintomas da gripe ocorriam de forma mais amena.

Houve uma sugestão dos cientistas que ser abraçados por alguém que confiamos poderá funcionar como uma forma de transmitir apoio. Além disto, o aumento da frequência de abraços poderá ser uma forma eficaz de reduzir os efeitos nocivos de estresse. Com isto aqueles que ganham mais abraços estão de alguma forma mais protegidos de infecções, segundo a pesquisa.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados