Colégio Web

Paolo Ruffini

Publicidade

Médico e matemático italiano nascido em Valentano, no Ducado do Castro, Estados Papais, que estudou, pioneiramente (1799-1815) e demonstrou a impossibilidade da solução algébrica para equações quíntuplas ou superiores – teorema Abel-Ruffini e, também, deu contribuições para soluções práticas para o estudo dos polinômios.

Estudou matemática e medicina na Universidade de Modena, onde recebeu o grau de doutor. Na mesma universidade, aos 23 anos, tornou-se professor de análise matemática, após substituir por um ano ao professor Cassiani. Sem negligenciar sua atividade de médico, assumiu também a cadeira titular de matemática elementar (1891) e reitor (1814).

Durante a invasão francesa (1796-1799) foi demitido de suas funções acadêmicas, mas as recuperou com o retorno dos austríacos (1799), inclusive declinando de um convite para um cargo superior na Universidade de Pávia, para não se afastar de sua clientela médica. Mesmo com a universidade rebaixada para o nível de liceu (1806), ele continuou com a cadeira de matemática aplicada. 

Com a ascensão de Franceso IV e o reestabelecimento da universidade, foi nomeado reitor vitalício (1814) ao mesmo tempo em que continuou a ensinar medicina prática e matemática aplicada. Com o início de uma epidemia de tifo (1817) ele dedicou-se inteiramente ao tratamento de seus concidadãos até que ele mesmo contaminou-se, e finalmente morreu em Modena, sendo enterrado na Igreja de Santa Maria di Pomposa, emtre as tumbas de Sigonio e Muratori.

Suas principais publicações foram Teoria generale delle equazioni, in cui si dimostra impossibile la soluzione algebraica delle equazioni generali di grado superiore al 4°, 2 vols., Bologna (1798), Della soluzione delle equazioni alg. determinate particolari di grado sup. al 4°, em Mem. Soc. Ital., IX (1802), texto que lhe deu o prêmio do National Institute of Milan, Riflessioni intorno alla rettificazione ed alla quadratura del circolo em Mem. Soc. Ital., IX (1802), Sopra la determinazione delle radice nelle equazioni numeriche di qualunque grado (1804), que lhe valeu uma medalha de ouro, Della insolubilità etc. qualunque metodo si adoperi, algebraico esso sia o trascendente em Mem. Inst. Naz. Ital., I, (1806), Algebra elementare (1807), Philosophical Transactions (1819) e os religiosos Dell’ immortalità dell’ anima, em Modena (1806), dedicado ao papa Pio VII, que lhe premiou com uma medalha de ouro, e Riflessioni critiche sopra il saggio filosofico intorno alle probabilità del Sig. Conte de la Place, em Modena (1821).

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados