Publicidade

Escritor satirista francês nascido em Paris, que postumamente se tornou personagem de muitas lendas românticas, freqüentemente sem fundamento histórico. Ingressou na carreira militar e foi ferido no cerco de Arras (1640). Deixou o Exército (1641) e passou a estudar sob orientação do filósofo e matemático Pierre Gassendi, precursor do materialismo moderno. Influenciado pelas teorias científicas e pela filosofia do mestre, escreveu suas duas obras mais célebres: Histoire comique des états et empires de la Lune (1656) e Histoire comique des états et empires du Soleil (1662), descrevendo viagens imaginárias à Lua e ao Sol.

Publicadas postumamente, essas estórias satirizavam as convicções religiosas e astronômicas dos século anteriores, que viam o mundo como um sistema geocêntrico. Com as novas teorias científicas, era fácil por ao ridículo as autoridades religiosas e incentivar o materialismo. Ele mesmo chegou a prever algumas invenções e descobertas, como o fonógrafo e a estrutura atômica da matéria. Para o teatro, escreveu a tragédia La Mort d’Agrippine (1654) e a comédia Le Pédant joué (1654). Também considerado um mestre da prosa barroca, levou vida desregrada e morreu em Paris, ainda relativamente jovem.