Colégio Web

A reação liberal e a Revolução de 1842

Publicidade

3. A reação liberal e a revolução de 1842

Depois de tanta violência e fraudes, o “Ministério dos Irmãos” não perdurou por muito tempo no governo, uma vez que Aureliano de Souza e Oliveira Coutinho solicitou ao Imperador a desagregação da Câmara dos Deputados eleita nas “eleições do cacete”, pedido este que foi consentido pelo Imperador que demitiu o ministério maiorista, com exceção de Oliveira Coutinho.

Com isso, iniciou-se a Revolução de 1842, em Minas Gerais e São Paulo, por parte dos Liberais. 

Rafael Tobias de Aguiar, político brasileiro nascido em Sorocaba, um dos chefes da Revolução Liberal (1842), em São Paulo, e um dos mais destacados chefes liberais da primeira metade do século XIX. 

Em São Paulo, foi eleito membro dos conselhos provinciais várias vezes e deputado às Cortes, em Lisboa. Presidente da Província (1831-1835/1840-1841), recebeu o posto de brigadeiro honorário do Império. Realizou excelente administração, aplicando seu próprio ordenado em escolas, obras públicas e de caridade.

Liderou a Revolução Liberal (1842) junto com o padre Diogo Antônio Feijó. Sorocaba foi declarada capital provisória da Província (16/05/1842) e o político sorocabano, seu presidente interino. Formando a chamada Coluna Libertadora, de 1.500 homens, tentou invadir São Paulo e depor o presidente da Província, o Barão de Monte Alegre.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados