Colégio Web

Escolas em São Paulo ficam fechadas por falta de água

Publicidade

A estiagem que atinge o estado de São Paulo é simplesmente a pior da História, sendo que alguns dos principais sistemas de abastecimento de água paulistas simplesmente trabalham com capacidade muito abaixo da normal.

Um dos exemplos mais claros é o sistema Cantareira, que é um dos principais que abastece a região metropolitana de São Paulo e que se encontra com nível abaixo dos 4%, o que é alarmante.

E os impactos já são sentidos em praticamente todos os setores da sociedade paulista, bem como da indústria e da economia como um todo, além de também afetar a política.

Um dos impactos da seca

Escolas em São Paulo ficam fechadas por falta de água

Pois para provar como a estiagem realmente está atrapalhando o bom funcionamento de alguns serviços essenciais do estado de São Paulo, bem como também está afetando a vida das pessoas, uma cidade do interior do estado simplesmente teve de fechar escolas por falta de água.

O município em questão é Cristais Paulista, que está localizado a 400 km da capital do estado, e a medida foi tomada por causa da seca que atinge o interior do estado, afetando, entre outras coisas, os principais reservatórios de água do estado.

Segundo informações divulgadas pela própria prefeitura de Cristais Paulista, nada menos do que 2 mil alunos ficaram sem aulas por causa da medida, já que as duas creches e as três escolas da cidade tiveram de fechar suas portas por falta de água.

A cidade possui apenas 10 mil habitantes, e é a primeira a tomar este tipo de medida, sendo que, ainda segundo informações da própria prefeitura, outros serviços considerados essenciais, como hospitais e postos de saúde, ainda não foram afetados, mas há previsão de que, caso persista a estiagem, eles também venham a ser afetados.

A crise hídrica e sistema Cantareira

Escola Falta de Água

Esta medida anunciada pela prefeitura de Cristais Paulista é apenas mais um reflexo da crise hídrica sem precedentes em que se encontra o estado de São Paulo, que já afeta diversos setores importantes.

E um dos maiores exemplos do quão grande é esta crise hídrica é o sistema Cantareira, que abastece a capital paulista, e que atualmente simplesmente se encontra com apenas 3,3% de sua capacidade.

Para que se tenha uma ideia, há exatamente um ano, o mesmo sistema apresentava um nível de 38,2% de sua capacidade, o que já era, na época, considerado alarmante, especialmente por alguns especialistas, que hoje criticam a falta de ação por parte do governo estadual.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados