Colégio Web

O bandeirismo

Publicidade

7. O bandeirismo 

Logo no principio do bandeirismo, o seu intuito era prender os índios e vendê-los em terras que não se usavam negros como escravo, devido ao seu alto preço, assim vendiam os índios por um custo bem mais barato e os escravizavam. A facilidade do negócio deve-se ao Tratado de Tordesilhas que não estava em vigor devido à união Ibérica, com tudo isso o no sul da colônia o primeiro ciclo missionário tinha se destruído. 

Esse movimento teve seu auge com a ocupação dos holandeses, com a interrupção do tráfico negreiro e a mão-de-obra escrava estava á míngua com isso o preço dos escravos aumentou ainda mais, lucrando o bandeirismo com a venda dos índios escravos.

As razões do bandeirismo:

O que motivou os bandeirantes foi à pobreza dos habitantes de São Paulo. No final do século XVI, quando o mercado açucareiro começou a entrar em declínio, e a população a migrar das cidades litorâneas para o planalto de Piratininga, Onde a parte econômica não tinha sido tão afetada. A crise teve uma proporção tão grande, que os bandeirantes cultivavam alguns produtos, apenas para sua subsistência, começou a ver novas riquezas nos sertões, índios que poderiam ser escravizados, matais preciosos. 

Podemos dizer que os Bandeirantes foram homens corajosos, que os portugueses usaram para combates contra os índios rebeldes e escravos fugitivos, tudo isso aconteceu no começo da colonização do Brasil.

São Paulo na época dos bandeirantes:

Em São Paulo teve o surto das bandeiras que teve origens com expedições de resgate para prisioneiros. 

Podemos entender que o bandeirismo teve origem na obra dos Jesuítas com seu início em São Paulo, saiam de São Vicente para o interior do país por entre as florestas e seguindo o caminho dos rios, partindo assim rumo ao Rio grande do Sul, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás. 

Estas expedições tinham como objetivo predominante capturar os índios e procurar por pedras e metais preciosos. Contudo, estes homens ficaram historicamente conhecidos como os responsáveis pela conquista de grande parte do território brasileiro. Alguns chegaram até fora do território brasileiro, em locais como a Bolívia e o Uruguai. 

Do século XVII em diante, o interesse dos portugueses passou a ser a procura por ouro e pedras preciosas. Então os bandeirantes Fernão dias Pais e seu genro Manuel Borba Gato se concentraram nestas buscas desbravando Minas Gerais. Depois outros bandeirantes foram para além da linha do Tratado de Tordesilhas e descobriram entre muitos metais preciosos, o ouro. Muitos aventureiros os seguiram, e, estes, permaneceram em Goiás e Mato Grosso dando início a formações das primeiras cidades. Nessa ocasião destacaram-se: Antonio Pedroso, Alvarenga e Bartolomeu Bueno da Veiga, o Anhanguera. 

Outros bandeirantes que fizeram nome neste período foram: Jerônimo Leitão (primeira bandeira conhecida), Nicolau Barreto (seguiu trajeto pelo Tietê e Paraná e regressou com índios capturados), Antônio Raposo Tavares (atacou missões jesuítas espanhola. para capturar índios), Francisco Bueno (missões no Sul até o Uruguai). 

Como conclusão, pode-se dizer que os bandeirantes foram responsáveis pela expansão do território brasileiro, desbravando os sertões além do Tratado de Tordesilhas. Por outro lado, agiram de forma violenta na caça de indígenas e de escravos foragidos, contribuindo para a manutenção do sistema escravocrata que vigorava no Brasil Colônia.

O ciclo de preação do índio:

A preação indígena era uma forma de subsistência dos bandeirantes, que em meados de 1619 começaram os ataques aos jesuítas, os índios que trabalhavam na terra (agricultores) e artesãos que foram escravizados em grande massa. Precisavam de novos escravos como os índios, para o preenchimento de mão de obra escrava nos engenhos litorâneos. 

As grandes bandeiras de preação coincidiu com a ação holandesa, tomando as feitorias africanas e desviando o tráfico de escravos para o nordeste sob sua ocupação desde 1630.

O ciclo do bandeirismo de contrato:

Manuel da Ressurreição até então governador geral do Brasil, resolveu solicitar os bandeirantes de São Paulo e São Vicente, para que pudessem acabar com a desordem, mas a chegada dos bandeirantes causou grande revolta. 

A partir do século XVII os bandeirantes começaram a trabalhar para homens de posse no nordeste.

O ciclo de prospecção do ouro:

ciclo de prospecção ou ciclo do ouro como chamamos,se deu a partir do contato com os índios que os exploradores ou prospectores (pesquisadores do ouro). Mas quando os primeiros exploradores chegaram ao Brasil, tinham como intuito o ouro, metal preciosos como chamavam ,com o objetivo de vender para nobreza. 

Ao longo dos anos com o contato que foi mantido entre os índios, os exploradores foram descobrindo que haviam riquezas escondidas. Quando pisaram em solo brasileiro, foram para o interior do Brasil, onde haviam os tais metais preciosos, os colonos não tiveram tanto sucesso só encontravam solo fértil e índios, á quem eles não davam importância.

As Monções:

As monções foram de grande importância na colonização do Brasil, mas no este brasileiro, logo depois da decadência do bandeirismo. O seu começo foi em 1718, quando Pascoal Moreira Cabral que foi quem descobriu o ouro em Cuiabá. Um campo de mineração começou nesta época, com alguns sertanistas que tinham ouvido falar da notícia sobre o ouro.

O significado do Bandeirismo:
Os bandeirantes precisavam buscar novas fontes de enriquecimento. Como os negros eram muito caro, então eles resolveram aprisionar os índios, era um bom negócio. Essa fase foi importante para os bandeirantes, pelo Tratado de Tordesilhas, que não estava em vigor, o que serviu de ajuda para a destruição do primeiro ciclo missionário que aconteceu no sul da colônia. Seu objetivo maior era aprisionar os índios para que pudessem vendê-lo.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados