Colégio Web

Reino Protista – Protozoários e Algas

Em Microbiologia, o Reino Protista, ou Protocitista, é composto por protozoários e algas, ou seja, seres unicelulares e eucariontes. Conheça mais detalhes!

Publicidade

Em Microbiologia, o Reino Protista, ou Protocitista, é composto por protozoários e algas, ou seja, seres unicelulares – formados por uma única célula – e eucariontes, com núcleo individualizado, ao contrário de representantes do Reino Monera, por exemplo.

Protozoários

Os protozoários são seres unicelulares, heterótrofos – não produzem o próprio alimento, como seria o caso da fotossíntese – não apresentam parede celular, ou seja, sua membrana é a própria linha divisória. Sua classificação divide-se em 4 grandes filos – ou grupos:

Sarcodínia ou Rhizopoda

São os protozoários que se locomovem por pseudópodos – ou “falsos pés”, são pequenas expansões do citoplasma. A principal característica é a presença das amebas. A maioria desses organismos é de vida livre, mas algumas são “comensais”, ou seja, vivem no organismo de outros animais, sem prejudicá-los. Até mesmo o ser humano possui amebas vivendo em seu corpo, como, por exemplo:

– Entamoeba gengivalis, que vive na gengiva;

– Entamoeba coli, localizada no intestino, entre outras.

Já no grupo das amebas de vida livre, há uma que pode causar infecções ao homem: Entamoeba histolytica, capaz de provocar disenteria amebiana, ou amebíase – com sintomas como cólicas, diarreia e anemia.

Os outros elementos desse filo são:

-Heliozoários;

-Radiolários;

-Foraminíferos – muito presentes no fundo de oceanos.

Flagellata

Protozoários cuja locomoção é feita via flagelo – estruturas longas, podem possuir de 1 a 3, dependendo da espécie e, além de auxiliar na locomoção, permite a captura do alimento. Podem causar as seguintes doenças:

  • Doença de Chagas, Leishmaniose Tegumentar Americana – ambas transmitidas por mosquito;
  • Tricomoníase – transmitida via relação sexual;
  • Giardíase;

protozoários

Cilliata

Neste filo, o deslocamento é feito por cílios – são menores que os flagelos e estão presentes em muito maior número. O maior exemplo deste filo é o paramécio, um protozoário de uso muito frequente entre cientistas, que vive em água doce;

Esporozoários

Não há qualquer órgão ou meio de locomoção, razão pela qual, esse tipo de protozoário deve ser um parasita. Caso contrário, não conseguiria se alimentar. Desse modo, é parasita de vertebrados e invertebrados.

Entre as principais doenças deste filo, estão:

  • Malária – causada pelo plasmodium;
  • Toxoplasmose – provocado por Toxoplasma gondii, pode provocar aborto, em gestantes.

Muitas das doenças provocadas pro protozoários podem ser evitadas com medidas simples, como higiene pessoal, tratamento de água e saneamento básico. Além disso, condições de habitação superiores, e não mais casas de pau a pique, como as do Norte do Brasil – que tem muitas frestas e reentrâncias, gerando ótimos habitats a esses mosquitos. No caso do mosquito Barbeiro, que provoca a Doença de Chagas, deve-se combater o mosquito. Outra forma de evitar a transmissão é a higiene de cães e gatos, mantendo vacinas em dia, e cozinhar bem a carne bovina que servirá de alimento. O ideal é realmente controlar e impedir o contato do ser humano com o agente transmissor, pois muitas dessas doenças não têm vacinas ou. medicação específica disponível no mercado.

Algas

Algas

Tratam-se dos outros representantes do Reino Protista. São unicelulares, autótrofas – porque são fotossintetizantes – e, por isso, apresentam clorofila, de três tipos – A, B e C. são subdivididas em 3 filos:

Euglenophyta

Algas que fazem fotossíntese, mas que apresentam característica especial. Quando estão em local pouco iluminado, que impossibilite a fotossíntese, se alimentam como um protozoário.;

Crysophyta

Apresentam carcaça externa, à base de sílica, muito utilizada na fabricação de abrasivos e polidores de metal. A indústria recolhe as carcaças das algas mortas, depositadas no fundo de oceanos e mares;

Pirrophyta

São capazes de emitir luz, por um processo bioquímico. Alimentam-se de material bioquímico, reproduzindo-se rapidamente. Quando aumentam muito, depositam mais resíduos nas águas, deixando a água mais tóxica, matando peixes e frutos do mar.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados