Colégio Web

O jejum faz parte da natureza dos animais

Publicidade

A moda, hoje em dia, em relação à nutrição é comer diversas vezes ao dia. Muito se fala sobre os benefícios de fracionar as refeições em diversas partes para a pessoa se alimentar durante o dia. Dizem que os benefícios são diversos, desde manutenção do nível de insulina até mesmo o emagrecimento, pois mantém o metabolismo ativo, evitando que o mesmo estoque gordura. São inúmeras boas razões para as pessoas comerem tão frequentemente, mas será que é tudo tão perfeito assim, como parece ser na teoria?

Este artigo tem objetivo mero informativo. Nenhuma informação contida aqui tem o objetivo de substituir a visita ao médico, muito menos alterar o que foi prescrito por ele. A ideia do texto é mostrar que nem tudo é o que parece, e sabendo dosar, os benefícios podem vir em dobro.

Confira!

Jejum: uma prática antiga de muito sucesso

Jejum

Vamos voltar um pouco no tempo, para quando os homens ainda viviam nas cavernas. A rotina destes humanos se baseava em caçar, se alimentar, dormir e procriar. Eles não tinham lazer, sendo que havia pouco tempo, até mesmo, para conseguir alimentos, pois necessitavam matar os animais, e nem sempre era fácil.

Sua dieta era bem simples. Eles passavam o dia caçando e se alimentavam, apenas, no período noturno. Não tinham o costume de comer de 2 em 2 horas ou 4 em 4 horas! Era uma alimentação bem grande ao final do dia para terem forças recarregadas para a manhã do dia seguinte.

Hoje, pesquisas mostraram que esta prática faz bem para o organismo, sim. O corpo humano libera em períodos hipoglicêmicos uma substância chamada GH, ou Hormônio do Crescimento. Este hormônio está intimamente ligado ao crescimento das pessoas, mas, também, diminui a quantidade de gordura do organismo e aumenta os reflexos. Perceba que os caçadores daquela época eram extremamente ágeis, fortes e com o mínimo de gordura corporal!

O corpo humano funciona como qualquer outra máquina. Se você colocar 100 ml de gasolina 10 vezes ao dia ou 1 litro em apenas uma vez só, haverá diferença ao final das 24 horas? Não! No total, o valor foi o mesmo. É assim que funciona com o corpo: seja de 200 em 200 calorias ou 1000 em 1000 calorias, o que importa é a soma final.

O jejum, então, pode ser uma prática benéfica para as pessoas que estão com a saúde em dia, sem nenhum tipo de complicação. Ela sentirá melhora no raciocínio, perda de gordura e manutenção de músculos, além de mais agilidade.

Outros animais também jejuam…

À título de curiosidade, após ficar doente, os animais costumam ficar um período em jejum que é para recobrar as forças. Todos os órgãos do corpo humano descansam em algum período, mas o estômago, não (exceto ao dormir). Ele trabalha o dia todo, sempre fazendo a digestão dos alimentos.

Ao desviar a energia que o corpo manda ao estômago para o sistema imunológico, todos os animais ficam mais fortes mais rapidamente. Perceba que cachorros, por exemplo, não tem este tipo de informação; é instintivo.

Não aconselhamos o uso do jejum. Apenas um médico pode fazer isso, pois ele sabe exatamente como está seu organismo e suas taxas.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados