Colégio Web

Principais ideias de Karl Marx

Publicidade

O alemão Karl Heinrich Marx, fundador da doutrina socialista, produziu ideias que tiveram grande impacto em todo o mundo, ao longo do século XX. Com um pensamento que abrangeu Teologia História, Literatura, Pedagogia, Antropologia, Economia, Sociologia, Ciência Política, Filosofia, Geografia, Direito, entre outras áreas do conhecimento, trata-se de um pensador que impressiona, seja pelo volume de informação e nível de profundidade, seja pelas duras críticas que impõe ao sistema capitalista como um todo.

Marx sempre se mostrou ser um grande teórico, mas também um homem de ação, porque condenava a diferença entre teoria e prática. Assim, lutava arduamente para que suas ideias fizessem parte de sua prática cotidiana.

Baseou-se em conceitos, como o materialismo de Feuerbach e também sobre a dialética de Hegel, o que se mostrou um valioso exercício que contemplou as relações entre os indivíduos e com as instituições que balizavam o comportamento social. Seus estudos se debruçaram profundamente sobre em todas essas vertentes, que eram constantemente questionadas e revistas. Foi um grande responsável por reorientar todo o debate entre intelectuais na Europa.

Ideias de Marx

Karl Marx

A grande reunião das ideias marxistas ocorre em sua obra mais famosa “O Capital”, em três volumes – publicados em 1867, 1885 e 1894, cada.

Suas ideias de maior destaque, entre outras, eram as seguintes:

  • Valor – conceito que se relaciona ao tempo, qualidade e quantidade de força de trabalho empregada na elaboração de uma tarefa;
  • Trabalho – O homem, por excelência, se trata de um ente que é produtivo, e, por isso, essencialmente ativo. Desse modo, o trabalho é uma peça-chave para sua dignidade, uma vez que se trata de uma potência humana. O sistema capitalista, de forma nociva, produz riqueza a partir da força de trabalho dos indivíduos;
  • Mais-valia – trata-se da diferenciação entre o valor gerado pelo trabalho empregado pelo indivíduo e qual a remuneração que recebe do empregador capitalista;
  • Luta de classes – tensão imposta pela desigualdade de forças dos grupos sociais, que se dividem entre os proprietários – dos meios de produção – e o proletariado – os trabalhadores em si;
  • Anarquia de produção – a falta de uma organização centralizada, que promova a sinalização do direcionamento para uma produção dentro da sociedade, pode acabar gerando muitas crises, de tempos em tempos;
  • Crises capitalistas – Segundo Marx, esse sistema seria abalado por crises, de tempos em tempos, que se caracterizariam tanto por serem estruturais, quanto por sua periodicidade. Após essas instabilidades viria a crise final, acumulando as demais crises, detonando o fim do modo de produção capitalista;
  • Final do sistema capitalista – o grupo de proletários seria maior e, por isso, seus direitos podem prevalecer. Fariam protestos nas ruas, dando início a uma sociedade justa, equilibrada, acabando com a propriedade privada de todos os meios produtivos. Tudo isso culminaria em um desenvolvimento pleno do ser humano.

Se refletirmos um pouco, as ideias de Karl Marx são marcantes até os dias atuais, conforme há um aumento de movimentos sociais e sua mobilização por causas como combate à corrupção e fim de privilégios de homens públicos.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados