Digite o que você quer buscar:  
Home » Trabalhos Escolares » Literatura » Arcadismo e Pré-Romantismo » As propostas do Arcadismo – Os temas clássicos
01/06/2012 11:03

As propostas do Arcadismo – Os temas clássicos

Aumentar fontes para melhor leitura Diminuir fontes para melhor leitura

3. As propostas do Arcadismo – Os temas clássicos

Arcadismo tem a ver com a mitologia clássica, com a vida bucólica e com o pastoreio. Com a ressurreição dos modelos antigos (renascimento), o mito da Arcádia grega assume algumas conotações de certos lugares ideais para que se possa ter um contato com a natureza, das serenidades espirituais e do equilíbrio. Ele assume também a liberdade sensual entre os pastores e pastoras que acabam entregando-se ao amor com naturalidade.
Houve então no século XVIII, uma não aceitação ao Barroco, que foi chamado de Arcádias em que eles se reuniam mostrando restauração à simplicidade e à sobriedade da poesia greco-latina e renascentista. 

A disciplina era uma idéia fixa, que tinha como características alguns pseudônimos pastoris que foram inspirados da literatura ou da mitologia clássica, em que os poetas pastores adotavam uma série de convenções e temas como: 

Inutilia truncat, que significa “cortar o inútil”, ou seja, houve uma rejeição contra o estilo barroco, os exageros verbais e as sutilezas argumentativas, pois se acreditava que a Literatura devia ser usada como instrumento de ensino, fazendo com que houvesse transformação (para melhor) do pensamento através dela.

Fugere urbem, que significa “evitar a cidade”, ou seja, evitar contato com a sociedade, que busca clareza e diz que o contato com a natureza era considerava uma alternativa saudável em uma cidade que ainda está em desenvolvimento urbano, na época da industrialização, tornava intranqüila a vida nas cidades.

Áurea mediocritas, que significa “dourada mediania” que é inspirado no culto à racionalidade filosófica e científica.

Locus amoenus, que significa lugar calmo, que usava a natureza como um cenário agradável, devemos observar que no Arcadismo a natureza é artificial imitada da Literatura clássica, ou seja, o poeta não descreve uma paisagem realmente como ela é, mas a idealiza, passando a idéia de irreal, usando até entidades mitológicas.

Carpe diem, que significa aproveitar o dia, é um tema que foi estimulado por Horácio, um personagem que aparece bastante na Lírica ocidental, com um lugar-comum que mostrava a duração da vida, ou seja, o quanto ela era passageira.

A afetação, o fingimento, o convencionalismo, a poesia árcade é um pouco difícil de ser entendida, pois não expressa claramente o conteúdo, ou seja, ele resgata os modelos clássicos. A Literatura como instrumento didático faz com que algumas idéias sejam mudadas e que a poética seja algo completamente artificial, levada por frases-feitas, mostrando uma poesia completamente artificial, sem a expressão dos sentimentos, mostrando algo insensível. Existiam alguns poetas Cláudio Manuel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga e Bocage foram os que mais transgrediram as convenções da Arcádia.

O objetivismo, o poeta mostra tranqüilidade quanto às suas obras, ou seja, passa ao leitor toda sua individualidade. A paisagem descrita nos poemas é clara e tranqüila e não descreve os mistérios da vida nem e nem as surpresas.

A restauração das regras clássicas, algumas regras clássicas que eram inflexíveis no Renascimento, acabam sendo restauradas a partir do Renascimento. Então a arte do século XVII é normativa e são regidas por teóricos da época como: Boileau (França); Luzán (Espanha) e Metastasio (Itália). 

A aristocracia faz com que a razão e o bom senso se “encaixem” em um ambiente aristocrático; isso faz com que haja uma redução nos temas interligado a uma linguagem limitada, o realismo do cotidiano burguês, esses poetas herdaram o racionalismo antibarroco e antiescolástico e alguns temas da vida cotidiana e o gosto descritivo.

A reação ao mau gosto do barroquismo, Afrânio Coutinho diz no início do século XVIII que caracteriza a decadência da literatura barroca: 

(…) era uma literatura anêmica e sensaborona, literatura empolada, de votação e encômios, numa linguagem farfalhante, carregada de exagerado metaforismo e de conceitos arrevessados. É uma parenética de panegírios de santos, de nobres, uma historiografia de genealogias, de memórias, de relatos históricos e descrições da terra, de crônicas militares

O Arcadismo fez renascer as regras clássicas , retomando ao gosto pelo racionalismo pela clareza, pelo equilíbrio, pela simetria, bem, para a Verossimilhança. Do racionalismo árcade acontecem: o uso comedido das figuras de linguagem (metáforas, antíteses, paradoxos, hipérbatos, sinestesias, eufemismos e etc.). Acontece também a imposição de uma disciplina, o predomínio da autoridade literária do dogma sobre o gosto desvitalizou, de um lado a criatividade e a livre invenção contribuíram para a estabilização do idioma e para a sua sistematização mais racional e eficaz. 

O bucolismo e o pastoralismo, mostram temas com exaltação da vida campesina, com suas paisagens, seu gado, simplicidade e costumes da vida rural. Tem gosto total pela vida, quer no sentindo figurado de obediência que o homem é nervo, sangue e intestino, já o poeta árcade é mais um pintor de situações que mostram a vida do homem no pior lado possível; “O belo é o racional (verdadeiro) e o racional é o natural”.


Receba conteúdo de
CATEGORIA e aprenda por SMS:

Custo de R$ 0,31 + impostos por mensagem, até 30 mensagens por mês. Para cancelar envie COLEGIO CATEGORIA SAIR para 49810

Digite seu número:

Comente!