Digite o que você quer buscar:  
Home » Trabalhos Escolares » História » Antigo Sistema Colonial » O sistema colonial mercantilista
01/06/2012 10:01

O sistema colonial mercantilista

Aumentar fontes para melhor leitura Diminuir fontes para melhor leitura

O sistema colonial mercantilista 

Esse sistema foi considerado como um conjunto de associações para a subordinação e dominação que englobavam tanto as colônias, como as metrópoles, na Época Moderna. Essas associações se davam entre as áreas metropolitanas e periféricas, que eram consideradas diretas e exclusivas. É importante lembrarmos que o sistema colonial mercantilista, também pode ser chamado de Sistema Colonial Tradicional. O que podemos lembrar que no século XVIII, entrou em crise.

As áreas metropolitanas:

Independente da gradação, as metrópoles européias fizeram parte das navegações e das descobertas – Espanha, Inglaterra, Holanda, França e Portugal. É importante lembrarmos que esses países entraram em uma disputa para estabelecer áreas de prestígio, nos continentes Asiáticos, Americanos e nos Africanos.
Essas metrópoles garantiram que as colônias iriam ser abastecidas, através do fornecimento de produtos manufaturados e a mão-de-obra escrava, pela burguesia mercantil, onde os preços eram sempre altos.

As áreas coloniais:

Essas áreas tinham relação com a periferia do sistema, ou seja, com porções territoriais da América, África e Ásia, onde estão as colônias e as feitorias. 

As relações metrópole-colônia: Nas relações metrópole-colônia, existia uma regra de normalização, chamada de pacto colonial. Neste Pacto, o exclusivo metropolitano se destaca, pois ele é considerado um monopólio estatal com alguns produtos coloniais, como por exemplo, no Brasil os produtos são o sal, o diamante, os estancos do pau-brasil entre outros. 

A produção colonial:

As colônias produziam açúcar, algodão, minérios, traziam grandes lucros e em função disso complementava na economia européia, voltada para os interesses da metrópole, e para a maioria a produção colonial era monocultural.
Na América, a natureza era de grande ajuda, ou seja, todos os recursos naturais eram de grande abastança. Mas já em alguns países da Europa, o recurso financeiro (o capital) era insuficiente, mas a mão-de-obra era farta, porém não havia como pagá-los pelo trabalho. A grande solução para tudo isso, foi o que chamamos de servidão temporária, era praticada pelos incas (uma forma de escravidão), e utilizada pelos espanhóis na região do Peru, e seria também usada em países como Portugal e a própria Espanha, que possuíam uma mão de obra desprovida de qualquer recurso. A única solução foi se utilizar da escravidão em suas colônias, pois assim seria provável uma junção de capitais, através da periferia do sistema.

O escravismo mercantilista:

Se tratando do escravismo mercantilista, podemos dizer que a escravidão africana contribuiu para a acumulação primitiva de capital. Isso ocorre, pois o escravo negro cria uma ligação com um aspecto duplo do sistema escravista moderno, com dois lados, sendo um como produtor de produtos, baixando os preços de seu custo de produção, e de outro lado, como a mercadoria.
Destacando esse último aspecto, a importância do trafego negreiro, ganha um destaque, por causa de todas as atividades comerciais que dão mais lucros que a própria burguesia européia conseguiu desenvolver na Época Moderna.





Você também vai querer ler...

Comente!

Que tal ajudar?

Ajudamos milhões de estudantes todos os meses, levando conteúdo educacional, de graça. Faça uma doação e ajude a manter o projeto. Clique no botão ao lado.