Digite o que você quer buscar:  
31/05/2012 18:09

Relações harmônicas

Aumentar fontes para melhor leitura Diminuir fontes para melhor leitura

2. Relações harmônicas

A relação é harmônica ocorre quando não há disputa entre as espécies, não havendo desvantagem para nenhuma das espécies.

As relações harmônicas podem ser: homotípicas ou heterotípicas.

Relações homotípicas

São conhecidas também como intra-específicas, este tipo de relação ocorre entre os seres da mesma espécie. 

Existem dois tipos de relações homotípicas: colônias e as sociedades.

Colônias

Agrupamento de seres vivos da mesma espécie, que carecem anatomicamente esta relação. Podem ser homomorfas ou heteromorfas. 

Colônias homomorfas

São constituídas por indivíduos que têm a mesma forma e a mesma função, sem nenhuma divisão de trabalho entre eles.

Colônias heteromorfas

Constituído pelos seres que apresentam funções específicas e formas distintas. Como exemplo, podemos citar as colônias de celenterados, onde existe uma parte da colônia que é responsável pela alimentação, e outra parte que é responsável pela reprodução. 

Sociedades

Sociedade é a associação de seres da mesma espécie, na qual seus componentes podem se desligar um do outro a qualquer momento, formando uma nova associação. 

Suas funções são divididas em um sistema de cooperação, como exemplo, temos os cupins, formigas, abelhas e vespas. 

Abelhas 

As abelhas se dividem em três classes: rainha, zangão e os operários.
Na sociedade das abelhas, a rainha é a mandante e a única fértil para todos os zangões, a fecundação ocorre no vôo nupcial, onde a rainha pode ser fecundada por mais de um zangão.

O zangão tem a função de fecundação da rainha e as abelhas operárias são todas estéreis, com a função de adquirir o pólen e o néctar como alimento para as abelhas, e fabricar a cera e o mel. 

Formigas

Na sociedade das formigas, a rainha e os machos são férteis, já as operárias são estéreis e compõem castas diferentes, na qual podemos observar algumas operárias fêmeas com formas diferentes, estas são denominadas soldados e têm a função de proteger o formigueiro.

A rainha é fecundada pelo macho durante o vôo nupcial. 

Feromônios

É uma substância química que tem a função de comunicação entre os insetos sociais. 

Relações heterotípicas

Esta relação ocorre entre organismos de espécies diferentes. É também conhecida como relação inter-específica. Essas relações são: protocooperação, mutualismo, comensalismo e inquilinismo. 

Protocooperação

É a colaboração em comum de espécies diferenciadas, porém uma não depende da outra para a sobrevivência. 

Exemplos

a) paguro-eremita e a anêmona-do-mar

O paguro-eremita não apresenta exoesqueleto e seu abdômen é mole, não contendo qualquer proteção. Sua habitação é dentro de uma concha de caramujo abandonada, na qual atrai os celenterados como a anênoma-do-mar, que com seus tentáculos urticantes protege o paguro de predadores, em troca o paguro transporta a anênoma na busca de alimentos.

b) pássaro-palito e crocodilo

A ajuda é para ambas as partes, no caso dos pássaros eles se alimentam dos detritos de comida armazenados na boca dos crocodilos, e para o crocodilo a vantagem é que o pássaro liberta-o contra o ataque de parasitas.

c) anu e gado

A ajuda também se torna para ambas as partes, no caso dos anus seu alimento é obtido através dos carrapatos encontrados no gado, que por outro lado se liberta dos parasitas. 

Mutualismo

É uma associação entre indivíduos de espécies diferentes que se faz necessária para a sobrevivência dos mesmos.

Exemplos

a) liquens

Os líquenes se formam quando há uma relação entre os fungos e as algas. Como os fungos são seres heterótrofos (não produzem o seu próprio alimento) e não realizam a fotossíntese, eles recebem alimento das algas e são beneficiados pela fotossíntese realizada por elas. Em troca disso, os fungos protegem as algas da luz solar com as suas hifas, além de sintetizar substâncias favoráveis para as células das algas, eles fornecem para elas água e sais minerais.

b) bacteriorriza

E a união das raízes de leguminosas com as bactérias Rhizobium. O mutualismo entre elas se dá pelo nitrogênio fabricado pela bactéria e a matéria orgânica fabricada pela planta.

c) cupins e protozoários

O principal alimento dos cupins é a madeira, porém eles não possuem a enzima celulase, que é capaz de digerir a celulose, presente na madeira. Em seu organismo há a presença dos protozoários que são os responsáveis por esta digestão.

Comensalismo

No comensalismo, ocorre a relação entre espécies distintas, a primeira espécie, chamada de comensal, é a única beneficiada na relação, já a segunda espécie, chamada de hospedeira, não recebe vantagem, mas também não fica no prejuízo. 

Por exemplo, o comensal utiliza os restos alimentares ou metabólicos do hospedeiro, não causando nenhum prejuízo à ele. Como é o caso da rêmora e do tubarão: a rêmora se fixa no tubarão por meio de sua ventosa, e ali ela se sustenta dos restos alimentares do tubarão, além de economizar energia no deslocamento, para o tubarão este processo da rêmora não tem efeito. 

Inquilinismo

Nesta relação um dos seres é chamado de inquilino, este se abriga no corpo de outro organismo, chamado de hospedeiro, sem causar qualquer dano a ele.
Esta associação se assemelha com o comensalismo, a principal diferença é que nesta relação não envolve a busca de alimentos.

Exemplo

a) peixe-agulha e holotúria

O peixe-agulha, que possui um corpo fino e alongado, tem a holotúria como abrigo protetor, sem causar danos à ela.





Você também vai querer ler...

Comente!

Que tal ajudar?

Ajudamos milhões de estudantes todos os meses, levando conteúdo educacional, de graça. Faça uma doação e ajude a manter o projeto. Clique no botão ao lado.