Colégio Web

Saturno

Publicidade

Na mitologia romana, Saturno é o deus da agricultura. É conhecido pelo seu sistema de anéis, é o sexto planeta a partir do Sol e o segundo maior do Sistema Solar. O planeta possui ao todo 49 satélites naturais. 

Pode-se ver Saturno no céu noturno, a olho nu. Embora não seja tão brilhante quanto Júpiter, é facilmente identificável porque ele não "pisca" como as estrelas. Os anéis e os satélites maiores são visíveis através de um pequeno telescópio astronômico. 


Saturno comparado a Terra.

Ficha técnica: 

Distância do Sol 1.429.400.000 km
Velocidade orbital média 9,67 km/s
Diâmetro equatorial 120.536 km
Área da superfície  4,38×10 10 km²
Massa  5,688×10 26 kg
Temperatura à superfície -125 ºC
Translação  29,4 anos
Rotação 10,5 horas

Embora pareçam contínuos, os anéis, na verdade, são formados por milhares de pequenas partículas que compõem uma mistura de gelo, poeiras e material rochoso. Eles são extremamente finos e sua origem ainda é desconhecida pelos cientistas. As principais teorias apontam que os anéis tenham surgido a partir da desintegração de um cometa ou do choque de um cometa contra uma lua de Saturno. 

Muito do que se sabe sobre o planeta é devido às explorações da Voyager em 1980-81. Saturno é visivelmente achatado nos pólos, como resultado da rotação muito rápida do planeta no seu eixo. O seu dia dura 10 horas e 39 minutos, e demora cerca de 29.5 anos terrestres para dar a volta ao Sol. Saturno é o único planeta menos denso do que a água (cerca de 30 por cento menos). No hipotético caso de se encontrar um oceano suficientemente grande, Saturno flutuaria nele. A coloração amarela enevoada de Saturno é marcada por largas faixas atmosféricas semelhantes, mas mais fracas, às de Júpiter. 

Campo Magnético 

A magnetosfera de Saturno é das mais complicadas de todo o sistema solar. Isso por causa do grande número de partículas dos anéis e a influencia de seus grandes satélites. O eixo do dipolo magnético está inclinado 0,7 com o eixo de rotação e o campo mede 0,21 Gauss, sendo que nos pontos de maior intensidade não chega a metade do valor do campo terrestre. Apesar disso a magnetosfera (espaço ao redor do planeta, onde o campo é dominante), tem grandes dimensões. Na direção do Sol essa magnetosfera atinge 1,39 milhões de km e no lado oposto atinge 4,83 milhões de km. 

Na presença desse campo ocorrem a captura de partículas carregadas, que formam uma camada de plasma ao redor do planeta. Essa camada tem baixíssima densidade, porém é muito espessa. As sondas Voyagers verificaram o que o campo faz uma rotação completa em 10h 39min 26s, que é o tempo mais provável para a rotação do planeta, pois acredita-se que o campo seja solidário com o interior do planeta. 

Provável Interior 
Sua estrutura interna é bem próxima à de Júpiter. Porém supõem-se que seu núcleo seja composto de óxido de magnésio, óxido de silício, sulfeto e óxido de ferro, onde está 25% da massa total (que é de 95 vezes a terrestres), ocupando apenas 20% do raio planetário. A parte compreendida entre 20% e 50% desse raio supõem-se ser ocupada por hidrogênio líquido metálico a uma temperatura de 20.000 K a 30.000 K. Acima disso está o envólucro de hélio e hidrogênio molecular ainda em estado líquido, podendo chegar a superfície do planeta ainda nesse estado, dai por diante ao estado gasoso e formando a atmosfera. Assim como Júpiter, Saturno envia ao espaço duas ou três vezes mais energia do que recebe do Sol. 

Atmosfera
 
A densidade do planeta é extremamente baixa, com gravidade específica de 0,7, menor que a da água. Assim como o seu núcleo é rochoso, a composição atmosférica de Saturno também é parecida com a de Júpiter: 75% de hidrogênio e 25 % de hélio. 

O vento sopra em altas velocidades, em Saturno. Perto do equador, atinge uma velocidade de 500 metros por segundo (1,100 milhas por hora). O vento sopra principalmente na direção leste. Encontram-se os ventos mais fortes perto do equador e a velocidade decresce uniformemente a maiores latitudes. As latitudes superiores a 35 graus, os ventos alternam entre leste e oeste conforme a latitude aumenta. 

As regiões mais internas da atmosfera puderam ser observadas nos locais de furacões, que provocam aberturas profundas na atmosfera. Com exceção do hélio, a composição atmosférica é semelhante e proporcional à do Sol havendo predominância do H2 . Em quantidades bem menores estão presentes os gases nobres neônio e argônio, mais a presença de metano amoníaco, ozônio e anidrido sulfuroso. Existem também os mesmos corantes presentes em Júpiter: fosfina e propano. 

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados