Colégio Web

Alimentação na gestação – O que comer?

A gestação é um estado da mulher em que deve dar atenção redobrada em relação à alimentação. Veja nossas dicas de dieta para grávidas!

Publicidade

A gestação é um estado da mulher em que deve dar atenção redobrada em relação à alimentação, principalmente, para garantir a boa saúde para a mãe e para o bebê.

Os cuidados com a saúde são intensos, assim como todos os preparativos para a chegada do bebê. Nesse período, a mulher se sente mais sensível, pois outro ser cresce dentro dela, e esse é um momento mágico e divino.

Para uma alimentação saudável não é preciso nenhum milagre, mas toda mulher precisa ter os cuidados necessários para manter a saúde e não exagerar nos quilinhos a mais.

A mamãe grávida

Gravidez

Você sabia que os nutrientes da alimentação da mãe vão para o feto? Mas não adianta aumentar a quantidade de alimentos! Nesse caso, é preciso ter uma alimentação equilibrada, ou seja, alimentos que contenham nutrientes importantes como carboidratos, proteínas, vitaminas e sais minerais. A mamãe deve se alimentar a cada três horas evitando o jejum, e o corpo deve ser hidratado com muito líquido, principalmente, água.

A mamãe durante a gestação engorda cerca de 9 a 12 quilos no período das 40 semanas, portanto a alimentação deve ser diversificada e sem aquela ideia de “comer por dois”.

Toda a alimentação consumida pela mãe atua em benefício do feto, para o seu crescimento e proteção, para o desenvolvimento e formação da placenta e para o liquido amniótico.  É muito importante que seja ingerido muito líquido, como água, sucos e água de coco.

Os benefícios ao feto de uma alimentação balanceada

Dieta Grávida

É muito importante que a alimentação na gestação seja balanceada e equilibrada. A alimentação é essencial para a saúde do feto e da gestante.

Numa alimentação equilibrada encontramos nutrientes importantes como o ferro (importante para a prevenção de anemia), o cálcio (essencial na formação dos ossos e dos dentes), o ácido fólico (essencial para o fechamento do tubo neural do bebê) e o ômega 3 (importantíssimo no desenvolvimento cognitivo e visual do feto), além de prevenir a depressão pós-parto e a incidência de partos prematuros.

A ausência dos nutrientes necessários causa menor desenvolvimento do feto em tamanho e na formação dos órgãos. A gestante pode ficar anêmica, e prejudicar o desenvolvimento do feto, inclusive ter dificuldades no momento da amamentação.

Uma alimentação balanceada e equilibrada com todos os nutrientes evita o excesso de peso para a gestante, evitando problemas com a hipertensão e o diabetes gestacional, além de desconfortos como cansaço, inchaço, enjoos, prisão de ventre e infecção urinária.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados