Colégio Web

Como estudar Português para o ENEM

Publicidade

A Língua Portuguesa, devido à estrutura atual das provas do Enem, se configura como sendo a disciplina principal, dentre todas. Isso ocorre porque, para começar, todas as questões do conjunto de provas deverão ter seus enunciados profundamente analisados e interpretados. Embora não seja a matéria com maior peso no Enem – trata-se da Matemática –, a nossa Língua faz parte, essencialmente, da estrutura da prova, como um todo.

Além disso, campos de ciências humanas, como História e Geografia, podem ser questões solucionadas plenamente, somente lançando mão de leitura criteriosa. Evidentmente, para se sair bem na prova de Língua Portuguesa, é necessário muita leitura e ótima interpretação de enunciados. Contudo, alguns outros aspectos precisam ser levados em consideração por candidatos ao exame. O ponto positivo é que isso é o grande diferencial do Enem, se comparado com os vestibulares tradicionais.

O que se atentar sobre o Português no ENEM?

Como estudar Português para o ENEM

  • Variáveis linguísticas do Brasil – aqui o foco é a língua portuguesa e sua diferenciação em cada ponto do país, ou seja, há uma interação entre português e geografia;
  • Análise de textos verbais e não verbais – a interpretação de linguagem corporal, de sinais, quadrinhos sem palavras, entre outros;
  • Figuras de linguagem existentes – uma das mais frequentes é a ironia, que expressa, em geral, o oposto do que está sendo pensado, ou dito, pelo emissor da mensagem;
  • Gêneros textuais – o candidato deve identificar a que categoria pertence cada texto, conforme suas características ou funções comunicacionais;
  • Figuras de linguagem também precisam ser analisadas cuidadosamente. Inclusive, reconhecer se um texto é literário, ou não, já ajuda a identificar quais são as funções de linguagem mais comuns àquele tipo de texto;
  • Estilos literários da língua portuguesa – aqui, o destaque é o Modernismo.

Para se preparar para uma prova tão criativa, o estudante deve:

1- Ler tudo o que puder em relação a estilos textuais diferenciados. Sejam verbais, não-verbais, charges, noticiário, quadrinhos, romances, entre outros;

2- Verificar atentamente o reconhecimento da variabilidade linguística presente em todo o território nacional, bem como as figuras de linguagem e gêneros de texto. Uma boa sugestão, nesse caso, é refazer as questões de anos anteriores do Enem. Para ajudar na identificação de regionalismos e afins, estar atento à estrutura morfológica do que se lê é muito importante, pois diz muito sobre o falante e sua mensagem;

3- Estudo de todos os movimentos literários, dando foco sempre a seus ícones, obras e principais características, como um todo;

4- Embora seja importante para se familiarizar, o Novo Acordo Ortográfico – estabelecido em 2008 – não deve nortear suas preocupações, uma vez que só poderá ser exigido, de fato, em 3 anos, ou seja, será obrigatório somente em 2016.

5- Deve haver algum destaque também para os estudos de ortografia e gramática, porque ajudam tanto na interpretação, quanto na elaboração da valiosa redação. Vícios de linguagem, como gírias e afins, devem ser sempre combatidos, pois podem causar ruídos na comunicação, além de serem mal vistos pela banca.

6- Funções sintáticas também precisam ser revistas, pois são frequentes nos exames. Além de ajudar na compreensão do que se lê.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados