Colégio Web

O que esperar da candidatura de Eduardo Campos para a presidência?

Foi anunciada, na segunda-feira, dia 14 de abril de 2014, a pré-candidatura do PSB à Presidência da República com o Eduardo Campos e a Marina Silva!

Publicidade

Foi anunciada, na segunda-feira, dia 14 de abril de 2014, a pré-candidatura do Partido Socialista Brasileiro à Presidência da República. A chapa será composta, como se especulava, por Eduardo Campos – ex-governador de Pernambuco – como presidente e Marina Silva – ex-senadora e ex-ministra do meio ambiente – no posto de vice-presidente. Entretanto, o que essa candidatura tem para oferecer ao país? É isso que iremos investigar a seguir.

No anúncio oficial, novidades

Curiosamente, na convenção do PSB, ao contrário do que ocorre normalmente, quando o presidente do partido, ou o próprio candidato ao cargo principal anunciam a chapa, foi Marina Silva quem fez o anúncio – realizado no Hotel Nacional, no Distrito Federal.

Eduardo Campos

De cara, isso já marca uma quebra de protocolo, por um lado, e, por outro, um sinal claro de o quanto o ex-governador irá se apoiar na popularidade de Marina – segundo pesquisas recentes, seria a única candidatura com reais possibilidades de levar uma disputa pelas eleições presidenciais a um segundo turno.

Evidentemente, esse interesse de Campos em se apropriar do prestígio de Marina se deve à sua expressiva votação, nas eleições de 2010 – quando obteve cerca de 20 milhões de votos. Ela pode, portanto, ser uma agente importante para catalisar atenções à candidatura do pernambucano. Sobretudo, pelo fato de a Rede Sustentabilidade, que seria o partido fundado por Marina, não ter conseguido seu registro oficial no Tribunal Superior Eleitoral.

Colocar-se como opção viável nas eleições

Batizada de “Caminho da Esperança”, a chapa Campos-Silva tenta se apresentar como uma terceira via autêntica, em um cenário político altamente bipolarizado, que se divide entre PT e PSDB; o que não deixa de ser restritivo, do ponto de vista da discussão democrática da política.

Assim, Eduardo Campos, o Governador eleito com o maior número de votos do país quer seduzir os jovens – que demonstraram sua insatisfação nas ruas, nos protestos de 2013 – oferecendo-se como um elemento transformador do que chama de “velha política” e, dessa forma, passando a mensagem de que nem todo político é corrupto.

Marina Eduardo

Apoios diversificados

Estiveram presentes no anúncio da pré-candidatura outras pessoas influentes, como Luiza Erundina e Ariano Suassuna e ambos fizeram declarações parecidas: Eduardo Campos – e sua união com Marina – pode oferecer à população brasileira uma opção de desenvolvimento com todo cuidado com o meio ambiente, e de atenção para aspectos essenciais como educação, saúde e segurança pública, afinal, a gestão de Eduardo Campos em Pernambuco apresentou uma série de indicadores positivos, em cada um desses setores.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados