Colégio Web

Governo lança nova campanha para defender ajuste fiscal

Publicidade

Com o mote “Ajustar para Avançar”, o governo federal acaba de lançar uma nova campanha voltada para a defesa do ajuste fiscal, que tem sido alvo de críticas por parte de praticamente todos os setores da sociedade e da classe política.

Após sofrer várias derrotas dentro do Congresso Nacional, que vetou praticamente todos os projetos relacionados ao ajuste fiscal, o governo federal decidiu-se por lançar esta campanha para tentar explicar a real necessidade das medidas.

Com todas as forças

Governo lança nova campanha para defender ajuste fiscal

Depois de ter lançado uma cartilha que trazia este lema “Ajustar para Avançar” no último dia 13 de abril, o governo decidiu mostrar que realmente não desistirá tão fácil da ideia de promover o ajuste fiscal.

E para isto, ele usará todas as suas forças, e como prova disto, ele lançou um site voltado para o tema, que traz um vídeo com duração de 1 minuto, onde é explicado o porquê o ajuste fiscal.

Para completar, o governo federal também criou uma hashtag que traz o mesmo slogan da campanha, para fazer uma pesada promoção da ideia dentro das redes sociais, onde ele entende que ocorre maior visibilidade nos dias de hoje.

Tanto na apostila, quanto no site, é possível ver uma defesa ferrenha de que o mundo passa por terrível crise econômica desde o ano de 2008, e que por este motivo, é necessário que o Brasil faça um ajuste fiscal para continuar amenizando os efeitos desta crise.

Há inclusive, a ressalva de que o Brasil só não sentiu os efeitos por conta das ações promovidas pelo governo, que teria feito com que o país passasse incólume pela crise que abalou o mundo desde então.

Ajustar para Avançar

Mais emprego

Segundo o material do governo federal usado para esta campanha para promover e defender o ajuste fiscal, o Brasil teve aumento de geração de empregos durante o período e também aumento de renda.

E com isto, houve valorização do salário mínimo e aumento da classe média, o que aumentou o poder de compra do brasileiro médio, fazendo com que o Brasil, internamente, sentisse menos os efeitos da crise econômica.

No entanto, o material defende que para manter as coisas no eixo, será necessário que o ajuste fiscal seja aprovado e seja implementado o mais rápido possível, para que o país não passe por uma crise econômica sem precedentes, que acabaria por colocar tudo que foi conquistado nos últimos anos em risco.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados