Colégio Web

Olavo Bilac

Publicidade

ESTRÉIA – Estreou na literatura em 1879, com o volume de poesias Primeiros sonhos, experiência ainda romântica.

AS POMBAS – Em 1883, publicou as Sinfonias, em cujas páginas se encontra um dos mais conhecidos sonetos da língua portuguesa: As Pombas.

OBRAS

1. Primeiros Sonhos, 1879.

2. Sinfonias, 1883.

3. Versos e Versões, 1887.

4. Aleluias, 1891.

SONETOS FAMOSOS

1. As Pombas

2. Mal Secreto

3. Anoitecer

OLAVO BILAC

NASCIMENTO E MORTE – Olavo Braz Martins dos Guimarães Bilac nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 16 de dezembro de 1865. Faleceu, na mesma cidade, em 28 de dezembro de 1918.

MEDICINA – Matriculou-se na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, mas foi expulso no quarto ano, acusado de necrofilia. Tentou, a seguir, o curso de Direito em São Paulo, mas não passou do primeiro ano.

JORNALISTA E POETA – Dedicou-se desde cedo ao jornalismo e à literatura. Teve intensa participação na vida política do Brasil e em campanhas cívicas, das quais a mais famosa foi em favor do serviço militar obrigatório.

PERSEGUIDO POR FLORIANO – Fazendo jornalismo político nos começos da República, foi um dos perseguidos por Floriano Peixoto.

BRIGA COM POMPÉIA – Ficou famosa a briga entre Olavo Bilac e Raul Pompéia. Os dois chegaram a comparecer em praça pública para um duel de espadas, que, felizmente, não aconteceu.

ESTRÉIA – Publicou a primeria obra em 1888, Poesias, tornando-se o mais típico dos parnasianos brasileiros. Na obra, encontram-se os famosos sonetos de “Via-Láctea” e a antológica “Profissão de Fé”, na qual codificou o seu credo estético, que se distingue pelo culto do estilo, pela pureza da forma e da linguagem e pela simplicidade como resultado do lavor.

POETA ÉPICO – Ao lado do poeta lírico, há em Bilac um poeta de tonalidade épica, de que é expressão o poema O Caçador de Esmeraldas, celebrando os feitos, a desilusão e a morte do bandeirante Fernão Dias Pais Leme.

PRÍNCIPE DOS POETAS – Bilac foi, no seu tempo, um dos poetas brasileiros mais populares e mais lidos, tendo sido eleito o “Príncipe dos Poetas Brasileiros”, no concurso da revista Fon-Fon (1913).

HINO À BANDEIRA – Na linha patriótica, compôs a letra do Hino à Bandeira.

OBRAS
1. Poesias, 1888.

2. Crônicas e Novelas, 1894.

3. Sagres (poesia), 1898.

4. Poesias Infantis, 1904.

POEMAS FAMOSOS

1. Ouvir Estrelas

2. Profissão de Fé

3. Língua Portuguesa

4. Velhas Árvores

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados