Colégio Web

Pesquisa diz que aulas para jovens deveriam começar apenas após as 8h30 da manhã

Publicidade

Sabe aquela velha história de que jovens e adolescentes não gostam de acordar cedo e que muitos deles estão sempre perdendo a hora de chegar a escola no período da manhã? Pois uma pesquisa feita recentemente nos Estados Unidos revela que isso pode não ser apenas preguiça. Para estes pesquisadores, as aulas para este pessoal deveriam começar apenas depois das 8h30.

Pesquisa diz que aulas para jovens deveriam começar apenas após as 8h30 da manhã

O estudo foi feito e divulgado pela Associação Americana de Pediatria dos Estados Unidos (AAP) e o relatório final desta pesquisa acabou resultando em uma recomendação formal para que as escolas iniciem o seu dia letivo apenas depois das 8h30 da manhã. De acordo com as informações levantadas na conclusão da pesquisa, o objetivo seria proporcionar uma melhor qualidade de sono para os estudantes.

Mais horas de sono

Para a APP, esta mudança nos horários escolares poderia ser muito benéfica para os estudantes e também para as próprias instituições, uma vez que uma série de problemas poderiam ser resolvidos, dentre eles a saúde debilitada, as notas ruins e os acidentes de carros que estão diretamente relacionados com o sono acumulado destes estudantes.

Pesquisa diz que aulas para jovens deveriam começar apenas após as 8h30 da manhã 2

Os estudos tiveram como base uma pesquisa também feita recentemente pela revista “Pediatrics” que revelam dados preocupantes sobreo sono dos jovens. A quantidade de horas de sono recomendada para crianças e adolescentes é entre 8 e 9 horas e meia por noite, mas a grande maioria dorme, em média, 7 horas apenas.

Segundo informações que também contam no relatório final da pesquisa da APP, mais de 40% das escolas públicas dos Estados Unidos iniciam suas atividades antes das 8 horas, e muitos estudantes precisam acordar ainda de madrugada para conseguir chegar a tempo na aula, especialmente aqueles que dependem do transporte público, que podem acabar prejudicados em relação aos estudantes que moram mais perto da escola.

 

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados