Colégio Web

Estados Unidos lançam programa para incentivar americanos para estudar no Brasil

Publicidade

Não é apenas o governo brasileiro que está lançando uma série de programas que visa incentivar os seus estudantes para cursarem programas de estudos fora do seu país natal. Nesta semana os Estados Unidos lançaram um projeto que visa aumentar o interesse de intercambistas norte-americanos para começarem a estudar aqui no Brasil.

Estados Unidos lançam programa para incentivar americanos para estudar no Brasil

Segundo as informações que foram divulgadas pelo governo dos Estados Unidos, a partir do mês de outubro de 2014 até setembro de 2015 serão escolhidos grupos de representantes de instituições de ensino que farão visitas à capital Washington e também em campis das universidades e faculdades dos Estados Unidos.

O principal objetivo desta visita seria aumentar a troca de informações com os gestores do ensino do Brasil sobre a estrutura que as instituições de ensino superior podem oferecer aos estudantes que vierem para o Brasil. Além disso, este intercâmbio entre os gestores vai garantir a adaptação de muitas disciplinas oferecidas pelas instituições brasileiras para que elas possam ser aproveitadas pelas instituições norte-americanas.

Uma outra preocupação dos Estados Unidos é criar um programa com os gestores das Universidades brasileiras para convencer os pais dos estudantes, para que eles comecem a incentivar os alunos a virem fazer intercâmbio aqui no Brasil.

Mais norte-americanos

Estados Unidos lançam programa para incentivar americanos para estudar no Brasil 2

De acordo com os dados que foram divulgados pelo Brasil em relação a quantidade de estudantes dos Estados Unidos que passaram a estudar no Brasil. Segundo o levantamento feito pelo Ministério da Educação, no ano letivo 2011-2012, 4.060 estudantes dos Estados Unidos faziam intercâmbio no país, 16,5% mais que no ano anterior 3.485).

Este crescimento acaba sendo maior do que a média dos estudantes que vieram para todos os países da América Latina e do Caribe, que foi de 11,7%.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados