Colégio Web

Crise na USP é agravada por conflito entre polícia e grevistas

Publicidade

A crise com a maior greve dos últimos anos na Universidade de São Paulo foi agravada na manhã desta quarta-feira, dia 20, quando um grupo de grevistas e manifestantes entraram em confronto com forças policiais. O fato foi registrado no bairro do Butantã, Zona Oeste da capital paulista.

policia-na-usp2

O conflito começou por volta das 6 horas da manhã, quando um grupo acabou bloqueando os portões do campus para impedir a entrada de alunos e funcionários que não estão participando do movimento grevista. Além dos portões da universidade, os manifestantes também bloquearam a pista no sentido bairro da Avenida Francisco Morato e também uma parte da Avenida Vital Brasil.

Os policiais foram chamados no local justamente por causa das vias bloqueadas. Para tentar dispersar o grupo, foram utilizadas bombas de gás lacrimogênio. Quando a polícia começou a avançar em direção aos manifestantes, um grupo acabou atacando com paus e pedras. Também colocaram fogo em algumas faixas que estavam sendo carregadas pelos próprios manifestantes.

O confronto acabou pegando de surpresa os motoristas que passavam pela região. Muitos acabaram fazendo retornos e conversões proibidas para fugir do conflito. Já passageiros que estavam dentro de alguns ônibus que ficaram parados próximos ao local reclamaram que forma atingidos pelo cheiro do gás.

Greve

portao-reaberto2

Ainda não existe nenhuma informação ou negociação concreta que indique o final da greve. A paralisação dos funcionários e professores começou no dia 27 de maio e já pode ser considerada a maior da última década. A situação acabou se agravando no último dia 04 de agosto, quando um grupo começou a fazer manifestações nos portões da universidade em virtude do desconto dos salários em virtude dos dias parados.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados