Colégio Web

Cantareira tem queda e vai para 5,9% da capacidade total

Publicidade

Um dos temas mais polêmicos e mais presentes na vida dos paulistas, especialmente dos que vivem na capital, o nível do reservatório do Sistema Cantareira não para de cair, gerando cada vez mais preocupação.

Desta vez, apesar das chuvas consideráveis em diversas regiões do estado de São Paulo, inclusive na região metropolitana da capital paulista, onde causaram transtornos, o nível do Cantareira voltou a cair, atingindo alarmantes 5,9% de sua capacidade total.

Quedas sucessivas

Cantareira 5,9

Apesar das chuvas fortes que caíram, especialmente na capital paulista, o fato é que para quem acompanha os noticiários sobre a situação do Sistema Cantareira, a notícia de mais uma queda de seu nível não chega a causar espanto.

Nos últimos dias, o nível do Cantareira tem apresentado quedas sucessivas, que, nas palavras de algumas autoridades, se deve à suposta “falta de pontaria de São Pedro”, em alusão clara ao santo católico que seria responsável, entre outras coisas, pelas questões do clima.

Como não choveu na região do Cantareira, e também na região das cabeceiras dos rios que o abastecem, o nível do reservatório não parou de cair nos últimos meses, e num fato que se agravou nos últimos dias, atingiu o nível de 5,9%.

Um problema que não é localizado

Cantareira

Apesar de ser mais falado por conta de ser o reservatório que responde pelo abastecimento da maior parte da Grande São Paulo, o fato é que o Sistema Cantareira não é o único que tem apresentado queda em seus níveis.

Também outros reservatórios do estado de São Paulo, como o Alto Tietê e o Guarapiranga também apresentaram queda em seus níveis, bem como o Alto Cotia, o Rio Grande e o Rio Claro.

Ou seja, já está mais que claro que não se trata de um problema localizado, e a falta de chuvas, aliada à completa falta de planejamento das autoridades responsáveis, acabou por colocar todo o estado de São Paulo em um nível de alerta total.

O futuro não parece ser dos mais favoráveis e promissores para os paulistas, especialmente para os que residem na região da Grande São Paulo, já que o Sistema Cantareira é o que apresenta maiores chances de secar por completo.

Medidas como a cobrança de multas de quem gasta mais do que deveria em tempos de seca podem resolver no curto prazo, mas o fato é que o estado de São Paulo deveria ter pensado em alternativas para um problema que já era previsto desde a metade da década passada.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados