Colégio Web

Asiáticos movem processo contra Harvard alegando discriminação no processo seletivo

Publicidade

Um grupo de estudantes asiáticos que tentavam uma vaga na Universidade de Harvard, uma das mais prestigiadas do mundo, entrou com um processo na justiça alegando que sofreram discriminação racial durante o seu processo seletivo. Eles estão reunidos anonimamente em uma organização criada para representar alunos que não conseguiram ser aceitos na instituição.

Harvard Cheating Investigation

Para embasar o seu processo na justiça, os estudantes afirmam que a Universidade teria se utilizado de critérios racistas para definir aqueles que entraram e não entraram no processo seletivo. Eles afirmam também que outros estudantes, brancos e negros, conseguiram vagas na instituição, mesmo tirando notas mais baixas nas provas.

Análise individual

Um dos principais pontos atacados por este estudante no processo de seleção da Harvard é o fato da instituição de ensino fazer a chamada análise “individualizada e holística”, que não leva em consideração apenas critérios pontuais, como a nota de uma prova, mas também alguns outros aspectos do estudante em sí.

Asiáticos movem processo contra Harvard alegando discriminação no processo seletivo 2

Apesar da Harvard defender publicamente estes critérios, os estudantes asiáticos afirmam que ele dá margem para o descarte de alunos através de análises que podem ser consideradas tendenciosas ou preconceituosas. Os estudantes que estão entrando com a representação na justiça afirmam que atualmente a quantidade de asiáticos que estão matriculados na instituição é a menor em 30 anos.

Uma outra acusação que está sendo feita contra a Universidade é a de que os mesmos critérios utilizados hoje já eram utilizados anteriormente, na década de 1920, para a instituição conseguir controlar e limitar a quantidade de judeus em Harvard.

Defesa

As acusações repercutiram na imprensa e fizeram com que a instituição emitisse uma nota oficial se posicionando sobre o assunto. Robert Iuliano, conselheiro geral da instituição, afirmou na nota que o processo de admissão de novos alunos foi classificado como “legalmente são” pela Corte Suprema dos Estados Unidos.

 

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados