Colégio Web

José Lins do Rego

Setembro é o mês da morte de José Lins do Rego.

Publicidade

José Lins do Rego (Engenho Corredor, Pilar, Paraíba, 1901-Rio de Janeiro, 1957) 

Nascimento – José Lins do Rego Cavalcanti nasce no engenho Tapuá, em São Miguel de Taipu, município de Pilar, Paraíba. Falece na cidade do Rio de Janeiro, em 1957.

Menino de engenho – Cria-se no engenho Corredor, de propriedade do avô materno. Faz os estudos secundários em Itabaiana e na Paraíba (atual João Pessoa).

Direito em Recife – Em 1918, forma-se em Direito, em Recife, onde conhece intelectuais como Gilberto Freire, José Américo de Almeida e Olívio Montenegro.

Estréia literária – Em 1932, publica seu primeiro romance: Menino de Engenho. O livro logo atinge enorme repercussão, abrindo caminho para uma série de obras de grande importância em nossa literatura.

ABL – Em 1956, é eleito para a Academia Brasileira de Letras.

Linguagem – A obra de Lins do Rego exibe linguagem simples e lírica, cheia de vocábulos regionais, com fortes traços de oralidade, aproximando-se muito da literatura de cordel.

Ciclo da Cana de Açúcar – Retratou, nos seus principais romances regionalistas, a região canavieira da Paraíba e de Pernambuco, em fase de transição do engenho para a usina. O “Ciclo da Cana de Açúcar”, formado por Menino de Engenho, Doidinho, Bangüê, O Moleque Ricardo, Usina e Fogo Morto, relaciona-se à memória do autor.

Teor sociológico – Suas histórias têm grande significado sociológico. Mostram a situação crítica dos proletários rurais, sob o mando opressor dos senhores de engenho, num sertão sempre sobressaltado pela presença de cangaceiros e policiais.

Obra mais admirada – Sua obra máxima é Fogo Morto, romance em que criou figuras imortais, como o seleiro José Amaro e o Capitão Vitorino Carneiro da Cunha, vulgo Papa-Rabo.

Personagens de Fogo Morto:

a) Mestre José Amano (seleiro; vira lobisomem).

b) Vitorino Carneiro da Cunha (espécie de Dom Quixote do sertão).

c) Coronel Lula de Holanda (fazendeiro).

Principais obras:

1. Menino de Engenho (romance, 1932)

2. Doidinho (romance, 1933)

3. Banguê (romance, 1934)

4. O Moleque Ricardo (romance, 1935)

5. Usina (romance, 1936)

6. Pureza (romance, 1937)

7. Fogo Morto (romance, 1943)

8. Cangaceiros (romance, 1953)

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados