Colégio Web

História política da Mesopotâmia

Publicidade

História política da Mesopotâmia 

A Mesopotâmia foi povoada por diversas tribos que disputavam áreas de terras cultivadas, causando uma série de lutas constantes na região. 

Os primeiros centros urbanos da Mesopotâmia surgiram quando os agricultores, povos das planícies, começaram a erguer redutos com o intuito de se proteger dos intensos ataques dos povos pastores das montanhas. Esse desenvolvimento urbano possibilitou a especialização de várias profissões e o aprimoramento tecnológico. No decorrer do tempo, as cidades mesopotâmicas começaram a se estabelecer em grandes centros de comércio, graças à influência de outras civilizações. 

Os semitas nômades foram os primeiros habitantes da Mesopotâmia, eles que são povos provenientes do deserto da Arábia iniciaram um processo de drenagem dos pântanos e a cultivação do solo através da irrigação, até que foram reprimidos pelos sumérios, provenientes do leste. 

A Mesopotâmia ficava entre os vales do Tigre e do Eufrates que proporcionavam a inundação do solo. Aproximadamente em 3500 a.C já se aplicava sistemas de irrigação e conseqüentemente a horticultura intensiva. 

Podemos notar os problemas de drenagem da Mesopotâmia através de documentos históricos de um antigo Estado, a Assíria. Quando uma cidade tinha necessidade de um novo canal, o rei ordenava que seus súditos fossem trabalhar nas obras e mesmo após a conclusão do trabalho eles continuavam na cidade trabalhando para o rei. Com toda essa soberania em relação a uma construção comunal de um canal, o domínio do rei foi se fortalecendo, e logo seu poder se transformou em despotismo oficial. 

Sumérios e acádios (2800 a 2000 a.C) 

A primeira grande civilização da mesopotâmia foi criada pelos sumérios, que são povos provenientes da Ásia Central. Na Mesopotâmia eles desenvolveram métodos hidráulicos com o intuito de acumular a água que poderia ser utilizada em tempos de seca e para controlar as inundações dos dois rios impedindo o estrago das plantações. 

Os sumérios estava organizado em cidades-Estados: Ur, Uruk, Nipur, Eridu e Lagash. Essas cidades eram unidades políticas caracterizadas como um Estado soberano, tendo total autonomia religiosa, política e econômica. Em cada cidade havia um governante denominado patesi que realizava diversas funções como chefe militar, primeiro-sacerdote e supervisor de obras hidráulicas. 

Com o passar do tempo, as disputas entre as cidades sumerianas pelo poder político favoreceu a invasão de diversos povos semitas, provenientes do deserto da Arábia, que acabaram com a cultura sumeriana com o estabelecimento de algumas cidades ao redor do rio Tigre, uma delas era a Acad, que deu origem aos acádios. 

O Primeiro Império Mesopotâmico se constituiu aproximadamente em 2330 a.C, quando o Rei Sargão (dos acádios) dominou plenamente as cidades sumérias. 

Porém, em 2180 a.C o Império Acádio foi destruído com a invasão dos guti, provenientes do planalto iraniano. A cidade de Ur recuperou-se expulsando os invasores e estabelecendo o Império Sumério unificado. Mas este poder não durou muito porque em 2000 a.C ocorreu uma nova invasão, desta vez foi dos povos elamitas que acabaram de vez com a independência políticas sumeriana. 

O primeiro Império Babilônico 1800 1600 a.C. 

Estela babilônica, que mostra o rei Hamurábi recebendo do deus Shamash as leis que constituíram o seu código.

O arruinamento das cidades sumérias favoreceu a independência da cidade de Babilônia que passou a ser um importante pólo comercial tendo o controle do transito do rio Eufrates. 

Os amoritas se estabeleceram na Babilônia durante a Média Mesopotâmia. 

Hamurábi é considerado o rei mais importante da Babilônia por ter formado o primeiro código de leis escritas que se conhece, fundamentado na antiga Lei de Talião: “Olho por olho, dente por dente…” 

Durante o império de Hamurábi os babilônios dominaram toda a Mesopotâmia estabelecendo um Estado unificado. Porém, ocorreram diversas invasões, e em 1700 a.C dois povos invadiram a Babilônia, os hititas e os cassitas, acabando definitivamente com a unidade política da cidade.

O império Assírio 1875 a 612 a.C

Após as constantes invasões na Babilônia e com a morte de Hamurábi, os assírios dominaram a cidade. Esses povos são provenientes das regiões áridas e estéreis do norte da mesopotâmia. 

Os assírios ficaram muito conhecidos pela grande capacidade de fazer guerra e pelo modo cruel que eles tratavam os prisioneiros. 

O Império Assírio alcançou um considerável desenvolvimento cultural, especialmente durante o comando do soberano Assurbanipal. 

O modo como os assírios dominavam os povos dependentes provocou uma série de revoltas e em 612 a.C. o império assírio foi destruído pelos caldeus.


Rei Assurbanipal, último rei do Império Assírio

O Segundo Império Babilônico 612 a 539 a.C. 

Sob o comando dos povos caldeus a Babilônia se reergueu, e foi durante o império de Nabucodonosor que a cidade atingiu o máximo de seu domínio, as terras babilônicas se desdobravam por quase todo o Oriente Médio, limitando-se com o Egito. Além disso, a cidade tornou-se mais formosa com as construções públicas, como os famosos “Jardins Suspensos”. 

Com a morte de Nabucodonosor em 539 a.C. a Babilônia foi conquistada pelos persas, que estavam sob o comando do rei Ciro.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados