Colégio Web

O que foi o Mercantilismo

Publicidade

 Mercantilismo

 
O mercantilismo foi um conjunto de teorias e práticas econômicas adotadas e desenvolvidas pelos governos europeus durante a fase do capitalismo comercial, na Idade Moderna.

Entre as características gerais do mercantilismo, destacamos:

a) controle estatal da economia, característica básica e fundamental;

b) balança comercial favorável;

c) protecionismo;

d) monopólio estatal;

e) metalismo.

RENASCIMENTO

O termo "renascença", empregado em sentido profano pela primeira vez no século XVI, tinha o significado de renascimento da cultura greco-latina.
A Idade Média, para os renascentistas, havia sido um período de trevas em que a ciência e a arte morrera, mas que finalmente renascia num novo momento de grandes realizações.

As raízes do Renascimento encontram-se na Baixa Idade Média, momento histórico em que o mundo medieval desagregou-se, dando origem ao mundo moderno capitalista.

Renascimento na Itália

A Itália foi o "berço" do Renascimento, devido ao florescimento de cidades como Veneza, Gênova, Florença, Roma e outras que enriqueceram com o desenvolviemnto do comércio no Mediterrâneo.

O crescimento econômico das cidades italianas deu origem a uma rica burguesia mercantil que, em seu processo de afirmação social, procurava ser o centro da nova sociedade e se transformava em "mecena", protetora da arte.

Características: 
Como características principais do Renascimento pode-se destacar:

a) Racionalismo – a razão é o único caminho para se chegar ao conhecimento.

b) Experimentalismo – todo o conhecimento deverá ser demonstrado racionalmente.

c) Antropocentrismo – colocava o homem como a suprema criação de Deus e como o centro do universo.

d) Humanismo – glorificação do homem e da natureza humana, em contraposição ao divino e ao sobrenatural.

Os principais autores e as principais obras literárias do século XIV foram:

a) Francesco Petrarca – O cancioneiro, livro de poesias líricas.

b) Dante Alighieri – A divina Comédia, exalta a idéia do livre arbítrio.

c) Giovanni Boccaccio – O Decameron, uma crítica severa aos membros da Igreja.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados