Colégio Web

Meiose

Publicidade

Meiose e Gametogênese

As células do corpo humano e de outros animais, chamadas de células somáticas, são diplóides (2n). Isso significa que elas possuem em seu núcleo, duas cópias de cada um dos cromossomos.

Esse número duplicado de cromossomos se mantem sempre constante de geração em geração. Assim, tanto os filhos quanto seus pais possuem o mesmo número de cromossomos, que no caso da espécie humana é 46.

Reflita, agora a seguinte pergunta: Como é possível que os seres humanos (e outros animais e plantas diplóides) mantenha constante seus números de cromossomos, se durante o processo de fecundação ocorre a união de duas células (um gameta materno e outro paterno)?

Isso só é possível porque durante a formação dos gametas ocorre a redução à metade do número de cromossomos. Assim, dois gametas haplóides (n), isto é, com apenas uma cópia de cada cromossomo, se unem dando origem a um zigoto diplóide (2n).

A formação dos gametas haplóides ocorre através de um processo de divisão celular denominado meiose, a qual ocorre em duas etapas consecutivas denominadas meiose I e meiose II.

Meiose I

Esta fase também é chamada fase reducional (R!), pois uma célula diplóide (2n) dará origem a duas células haplóides (n).

Meiose II

As duas células haplóides (n) formadas durante a primeira etapa (meiose I) dão continuidade à divisão, dando origem, cada uma delas, a mais duas células também haplóides (n) o que dará, no fim das 2 etapas, um total de quatro células haplóides (n).

A meiose II é denominada divisão equacional (E!), pois as células ao se dividem formam células-filha com o mesmo número de cromossomos.

Observação:

Entre a meiose I e a meiose II, existe um intervalo breve, que não é uma nova interfase (não há duplicação do material genético), denominado intercinese.

Esquema Geral

A meiose ocorre em células de linhagem germinativa (células que darão origem aos gametas).

Por meio da meiose, o número de cromossomos é reduzido à metade nos gametas, o que permite após a fecundação, a formação de um zigoto que mantém o número característico da espécie constante.

Meiose I (R!)

É divida em: Prófase I, Metáfase I, Anáfase I e Telófase I.

Prófase I

E subdividida em: Leptóteno, Zigóteno, Paquíteno, Diplóteno e Diacinese. Crossing-over (troca de segmento, genes, entre cromossomos homólogos), fenômeno que proporciona a variabilidade de características entre indivíduos de uma mesma espécie.

Leptóteno

Cromossomos pouco espiralizados.

Raramente se observa a duplicação das cromátides.

Podem-se observar os cromômeros (nódulos nos filamentos de DNA).

Zigóteno

Os cromossomos estão um pouco mais espiralizados

Os cromossomos homólogos alinham-se lado a lado (pareamento ou sinapse) para que possa ocorrer o crossing-over.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados