Colégio Web

Roma

Publicidade

Estudar a história de Roma Antiga é bem motivador. Por conta de todo o lastro cultural que foi desenvolvido na região e os vários avanços que alcançam até mesmo as civilizações atuais.

Imagine um minúscula cidade que acabou se tornando um império na antiguidade? Aí está Roma. Foram dos romanos que herdamos vários tipos de conhecimento. O Direito romano, por exemplo, continua forte no ocidente. O próprio idioma latim, que originou a nossa língua portuguesa, bem como as nossas línguas irmãs.

Na origem mitológica, Roma surgiu a partir de Rômulo e Remo. Esses irmãos gêmeos teriam sido jogados num rio chamado Tibre, na região da Itália. Uma loba os resgatou, amamentou e entregou-os a um casal de pastores. Quando os lobos cresceram, voltaram à sua cidade natal conhecida como Alba Longa. Lá, conquistaram terras e fundaram o que mais tarde conheceríamos como Roma.

Origem histórica

A História aponta que Roma foi resultante da junção de três diferentes povos que chegaram à região da Península Itálica: gregos, etruscos e italiotas. Eles foram desenvolvendo a economia local a partir da atividade pastoril e da agricultura. Naquele período, a sociedade era composta por classes conhecidas como patrícios (nobres que possuíam terras) e plebeu (comerciante, artesão e pequenos proprietários de terras).

O sistema político monárquico sempre apresentava a existência do rei originado entre os patrícios. No período politeísta, Roma adotou deuses semelhantes aos cultuados pelos gregos. Só alteravam os nomes. A arte grega também influenciou fortemente os romanos.

Já no período da república, o senado era o grande destaque de Roma. Também de origem patrícia, os senadores cuidavam da administração pública, da política com outros países e espaços e das finanças romanas. As atividades executivas ficavam a cargo dos cônsules e alguns tribunos da plebe. Esses últimos representavam as demandas dos plebeus que também queriam seus espaços e consequente melhoria de vida.

Só em 367 a.C é que foram aprovadas leis que garantiam a participação dos plebeus no Consulado. Também nesse período foi extinta a escravidão por dívidas (que era válida somente para romanos).

Expansão do Império Romano

Quando passou a dominar toda a península itálica, Roma quis também conquistar outros espaços. Exércitos e recursos potentes fizeram de Roma um importante opositor aos cartagineses durante as Guerras Púnicas (século III a.C). Assim Roma tornou-se suprema no Mar Mediterrâneo. Até mesmo passaram a chamá-lo de Mare Nostrum. Em seguida, conquistaram Cartago, Grécia, Egito, Macedônia, Gália, Germânia, Trácia, Síria e Palestina. Foram fortes mudanças para o povo romano que se viu cheio de poder. O comércio, nesse período, estava bem fortalecido e já havia deixado para trás o poderio do setor agrário. As conquistas de outros povos implicaram em escravos que passaram a pagar impostos para o império romano. Nesse período, alguns dos imperadores mais falados foram: Augusto (27 a.C. – 14 d.C), Tibério (14-37), Caligula (37-41), Nero (54-68), Marco Aurelio (161-180), Comodus (180-192).

 

 

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados