Colégio Web

A Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana

Publicidade

No meio do século XVIII, a América colonial começou a ser marcada por movimentos emancipados. Esses famosos movimentos eram o resultado do iluminismo – um movimento filosófico, que defendia a independência (ideias liberais da época), defendia também uma ruptura, com a metrópole.

A Inconfidência Mineira

inconfidencia mineira

Na segunda metade do século XVIII, Minas Gerais entrou em fase de decadência econômica (jazidas de ouro esgotadas, mineiros empobrecidos, altos impostos sobre os mineradores).

Em 1788, a Coroa Portuguesa nomeou o Visconde de Barbacena. Objetivo: aplicar a Derrama (cobrança dos impostos atrasados).

Movidos pela revolta, importantes membros da elite econômica e cultural de Minas planejaram um movimento contra as autoridades portuguesas: a Inconfidência Mineira.

Os planos dos inconfidentes eram:

  1. Libertar o Brasil de Portugal, criando uma república com capital em São João Del Rei.
  2. Adotar uma nova bandeira que teria um triângulo no centro com a frase latina: Libertas quae sera tamen (liberdade ainda que tardia).
  3. Desenvolver indústrias no País.
  4. Criar uma universidade em Vila Rica.

Sem tropas, sem armas, sem a participação do povo, sem intenção de libertar os negros, sem o mínimo de organização, bastou que o coronel Joaquim Silvério dos Reis denunciasse os planos dos inconfidentes ao Governador de Minas Gerais para que o movimento fracassasse.

Todos os participantes foram presos, julgados e condenados. Só Tiradentes (o mais pobre, o mais entusiasmado) teve sua pena de morte mantida: na manhã de 21 de abril de 1792, numa cerimônia pública no Rio de Janeiro, foi executado. Em seguida, teve a cabeça cortada e o corpo esquartejado.

A conjuração baiana

conjuração baiana

Também conhecida como Revolta dos Alfaiates, ocorreu em Salvador, em 1798. Foi o levante, do fim do período colonial, mais incisivo na defesa dos ideais de liberdade e igualdade propagados pela revolução francesa. A manifestação contou com representantes das camadas populares: grande número de negros e de mulatos.

Desejam a independência da Colônia e uma sociedade baseada nos ideais de liberdade e de igualdade dos cidadãos.

Em meados de 1798, surgem folhetos clandestinos anunciando a “revolução Baiense” e conclamando a população de Salvador a defendê-la. Fracassam os preparativos da luta armada. As autoridades dão início à devassa: 4 são condenados à morte (Lucas Dantas, Luis Gonzaga das Virgens, João de Deus e Manuel Faustino – todos mulatos). Inspirado nos jacobinos da Revolução Francesa, o movimento desejava a libertação dos escravos.

Observação: A Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana não alcançaram seus objetivos, mas transformaram-se em símbolos de luta pela emancipação do Brasil.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados