Colégio Web

Eletromagnetismo – Origem, Definição e Finalidade

O eletromagnetismo é a área da Física responsável por analisar e estudar as propriedades magnéticas e elétricas da matéria. Sobretudo, em particular, as relações entre tais propriedades.

Publicidade

O eletromagnetismo é a área da Física responsável por analisar e estudar as propriedades magnéticas e elétricas da matéria. Sobretudo, em particular, as relações entre tais propriedades.

Segundo uma lenda da Grécia, um pastor, de nome Magnes, ficou muito surpreso ao perceber como a bola de ferro que estava em seu cajado ficava atraída por uma pedra específica e bem misteriosa: o âmbar – ou “elektron” do grego. Essa pequena história, independente de ser fato ou ficção, expõe claramente o interesse que o homem tem, desde sempre, pelos fenômenos relativos à área da eletromagnética.

A seguir explicaremos um pouco mais sobre os fenômenos que envolvem esse tópico científico, bem como sua importância para a nossa vida, nos dias de hoje.

Desde o tempo em que as primeiras descobertas inovadoras do grande cientista Isaac Newton começaram a ser divulgadas, chegou-se a uma interpretação, amplamente aceita naquele momento, de causalidade do universo. Segundo essa visão, todo efeito que pudesse ser observado, deveria obedecer a forças que estivessem sendo exercidas por objetos a uma distância relativa.

Nessa época, portanto, ganha luz a teoria eletromagnética, que afirmava justamente que quaisquer repulsões de cunho magnético e/ou elétrico são resultado de ação de corpos a alguma distância.

Era imprescindível, portanto, que fosse encontrada a causa de tais forças, com base na teoria da massa gravitacional, de Isaac Newton, ao mesmo tempo em que se poderia explicar, com rigor, exatamente tais mecanismos de relação eletromagnética entre corpos e objetos.

Eletromagnetismo

O estudioso Ampère, que se dedicava àquela altura a correntes elétricas, expos uma teoria bastante interessante: existência de determinadas partículas de eletriciada, que fossem elementares e, ao se movimentar enquanto estivessem nas substâncias, auxiliariam a provocar relação magnética. Contudo, mesmo que fosse uma teoria interessante, Ampère jamais conseguiu comprovar a existência das partículas.

Faraday, a seguir, acabou trazendo uma outra noção, que ajudou a avançar com os estudos sobre o tema. Trata-se da noção de campo.

Segundo esse conceito, qualquer espaço detém uma série de linhas de força, isto é, correntes que não podem ser vistas a olho nu. Mesmo assim, essas forças seriam as administradoras do movimento de todo objeto, sendo criadas, também, pela presença de cada um dos corpos em um mesmo momento.

Desse modo, uma carga de eletricidade, móvel, faz com que sejam produzidas perturbações eletromagnéticas no espaço ao redor. Assim, qualquer carga mais próxima é capaz de identificar a presença justamente pelas linhas de força do campo. Matematicamente, essa ideia foi desenvolvida pelo inglês James Clerk Maxwell, o que ajudou a por abaixo a ideia, muito forte naquele tempo, de que forças agiam sob uma espécie de “controle remoto”.

Em 1897, o eletromagnetismo foi finalmente comprovado, no momento em que a descoberta do elétron foi feita por Sir Joseph John Thomson. Assim, pode-se verificar a força magnética no movimento orbital comum a elétrons, que ficavam ao redor de núcleo de átomos.

O eletromagnetismo é utilizado, hoje em dia, em múltiplas finalidades, tais como:

  • Construção de geradores de energia elétrica;
  • Radiografias,
  • Fornos de microondas, entre muitos outros.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados