Colégio Web

Casos centrados no verbo

Publicidade

III. Casos centrados no verbo

Verbo passivo com o pronome apassivador SE

Quando o pronome se for apassivador, o verbo deverá concordar com o sujeito.

Ex.: Ouviram-se gritos do quarto (Gritos foram ouvidos no quarto).

Existem casos em que o pronome se aparece como índice de indeterminação do sujeito, e como não há um sujeito determinado o verbo fica na 3ª pessoa do singular.

Por exemplo:
• Precisa-se de professores. (precisar: verbo transitivo indireto).

Verbos DAR, SOAR, BATER
Esses verbos (dar, soar, bater) quando se referem a horas geralmente têm concordância com o sujeito, que são representados pelas palavras horas, badaladas e relógio. 

Por exemplo:
• Soaram seis horas no relógio da Catedral
• O sino do colégio bateu nove horas.
• Davam sete horas quando ele chegou.

Bem haja, mal haja

O verbo concorda com o sujeito, sempre posposto.

Mal hajam professores.
Mal haja uma sobremesa.
Bem haja o momento de te ver.
Bem hajam as músicas daquela festa.

Verbo Bastar e faltar

Quando os verbos bastar e faltar estiverem com o valor de suficiência e falta, respectivamente, o verbo concorda com o sujeito.

Faltam dois dias para eu ir viajar.
Bastam dez reais para comprarmos o livro de Matemática.

Viver (orações optativas)
O verbo viver quando for empregado em orações que exprimem desejos (optativa) sempre concorda com o sujeito.

Vivam os noivos!

Verbo parecer acompanhado do Infinitivo

O verbo parecer acompanhado do infinitivo recebe duas construções:

O verbo é flexionado:
As amigas pareciam chorar.

O infinitivo é flexionado.
As amigas parecia chorarem.

haja vista
Para Haja Vista, existem variadas construções que estão corretas.

Por exemplo:

• Haja vista a dieta passada pelo médico.
• Hajam vista os ocorridos no Brasil.
• Vista haja os próximos trabalhos.
• Haja vista os problemas do bairro.

Verbo Ser

Para o verbo ser existem várias formas de concordância. Em alguns casos ele concorda só com o sujeito, em outros casos só com o predicativo, e em outros concorda com ambos. Veja alguns casos:

Quando o predicativo e o sujeito indicam nomes com números diferentes, o verbo sempre concordará com o nome que estiver no plural.

Exemplo:

Seu namoro são essas loucuras.
Esses trabalhos são a sua salvação.

Quando o predicativo e o sujeito indicam nome de pessoa, a concordância é feita com essa pessoa.

Exemplo:
Era o orgulho seus filhos.
Ele é suas alegrias.

O verbo ser sempre concorda com o pronome pessoal, sendo ele sujeito ou predicativo.

Exemplo:
Os carros são meus.
São meus os carros.

O verbo ser concorda com o predicativo nas indicações de distância, hora e data.

Exemplo:

São três horas da tarde.
É uma hora da tarde.

É primeiro de setembro.
São doze de setembro.

É uma légua daqui a casa dele.
São três léguas daqui a casa dele.

Observação: os dias dos meses admitem outra concordância, veja:

É dia primeiro de junho.
São 13 dias de junho.

O verbo ser não varia quando estiver acompanhado de um qualificador em indicações de preço, medida e quantidade.

Exemplo:

Quinhentos reais é pouco.
Cem quilômetros é bastante.
Duzentos quilos é suficiente.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados