Colégio Web

Reino Monera – O primeiro grupo de seres vivos da História

O reino monera é o primeiro de todos, em termos de taxonomia, sendo também o mais simples entre os reinos dos seres vivos. Confira, então, mais detalhes!

Publicidade

O reino monera é o primeiro de todos, em termos de taxonomia, sendo também o mais simples entre os reinos dos seres vivos. Como em biologia, o caminho é sempre o da evolução, é daí que se origina a ordem dos reinos, sempre do mais simples ao mais complexo. Por isso, o monera estaria nessa posição, sendo os primeiros seres vivos que já habitaram o planeta Terra, surgidas antes dos vírus.

Trata-se de um grupo formado pelas bactérias e cianobactérias – ou algas azuis. Podem ser encontradas, vivendo em diversos tipos de ambientes, como ar, água, solo, em animais e plantas, ou até como parasitas.

Bactérias

São os seres em maior quantidade na superfície terrestre. Em sua maioria, heterótrofas – ou seja, incapazes de produzir seu próprio alimento – embora existam alguns tipos de bactérias autótrofas – fazem fotossíntese.

Há bactérias de 3 tipos:

  • Aeróbias – que dependem de oxigênio para viver e respirar;
  • anaeróbias obrigatórias – que vivem apenas em locais sem presença de oxigênio;
  • anaeróbias facultativas – podendo viver nos dois tipos de ambiente acima.

Em relação às suas formas físicas, podem ser:

  • cocos – agrupam-se, formando colônias, sob alguns tipos de união: duas juntas, formam um diplococo, quando se unem em fila são estreptococo e em forma de cachos, são estafilococo;
  • bacilos;
  • vibriões;
  • spirilos.

Em termos de estrutura celular, as bactérias são procariontes, ou seja, todo o material genético fica solto, espalhado no citoplasma, sem qualquer divisão nuclear. O DNA, então, fica encerrado – plasmídeo – sem qualquer ponta, para não haver digestão, feita por enzimas. Sua parede celular é rígida.

Reino Monera

Em geral, o meio que as bactérias têm para se locomover é através de flagelos, como cílios, mexendo-se constantemente; ou fímbrias. Ajudam a “segurar” a bactéria em determinado ponto. A reprodução assexuada se dá por meio de divisão binária, ou seja, mediante a duplicação do DNA, há uma divisão, que gera duas células, idênticas do ponto de vista genético.

A variação genética entre bactérias pode se dar por meio de três processos:

  • conjugação – transfere-se material genético de uma bactéria à outra, por meio das fímbrias;
  • transdução – troca do material acontecendo por meio de um vírus, que invade a célula bacteriana e se apropria desse DNA;
  • transformação – quando bactérias incorporam, ao próprio DNA, partes de genes que estão perdidos e espalhados pelo ambiente.

As bactérias podem gerar esporos, com a finalidade de plantar células, com material genético bacteriano, em um determinado ponto, para ficar em “stand by” até que haja condições favoráveis à reprodução. Lembrando sempre que vivem muito tempo, às vezes até milhares de anos.

É interessante também que visualizemos as bactérias como elementos importantes para múltiplas necessidades humanas. Vejamos a seguir algumas das principais:

  • Fermentação – certas bactérias são normalmente utilizadas em indústrias para a produção de gêneros alimentícios, como iogurte, queijo etc;
  • Decomposição – tem ação importante na reciclagem da matéria como um todo, retornando ao ambiente, tanto moléculas quanto elementos químicos que são reutilizáveis pelos demais seres vivos;
  • Farmáciageralmente seu uso é favorável à produção de antibióticos e vitaminas;
  • Indústria química para álcoois, como metanol, etanol, entre outros;
  • Fixação do Nitrogêniorecolhe nitrogênio da atmosfera, fixando-o no solo, a fim de servir de alimento para plantas;
  • Genética – com a modificação de seu DNA, é interessante que sejam feitos produtos que venham ao encontro de necessidades vitais para os seres humanos, como ocorre com a insulina – importante aliado para controle de taxas de glicose de diabéticos.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados