Colégio Web

Rafael Lorente

Publicidade

Neurofisiologista espanhol nascido em Zaraguza e naturalizado norte-americano (1944), que se destacou no estudo médico em várias áreas, especialmente em problemas de neurofisiologia, tornando0se o primeiro neurofisiólogo espanhol. Filho de Francisco Lorente e Maria de Nó, matriculou-se na escola médica de Zaragoza aos 15 anos, mesmo ano em que publicou seu primeiro paper, um tratamento matemático de termodinâmica (1917).

Em Zaragoza tornou-se pesquisador em sistema nervoso sob orientação do professor de obstetrícia e ginecologia, Pedro Ramón. Aos 18 transferiu-se para a Universidade de Madrid, onde diplomou-se (1923). Foi assistente no Instituto de Cajal (1921-1929) e fez pós-doutorado em Uppsala (1924 -1927) com passagem por Berlim (1925). Voltou à Madrid (1927) onde dedicou-se à otorrinolaringologia e, depois, em Santander (1929-1931). Retornou rapidamente à Madrid (1931) para casar com Hede Birfeld, filha de um professor germânico da Universidade de Madrid.

Em seguida foi para os U.S.A., onde se tornou chefe do Neuro-Anatomical Laboratory do Central Institute for the Deaf, em St. Louis (1932), e um dos primeiros neurofisiologistas do país. Foi nomeado lecturer da Washington University School of Medicine (1935) e mudou-se para o Rockefeller Institute (1936) onde se tornou membro (1941) e professor (1953). Aposentou-se (1970) e foi nomeado professor emeritus do departamento de cirurgia e anatomia do Brain Research Institute da University of California, Los Angeles (1972).

Doente de uma enfisema progressiva e outras doenças, mudou-se para Tucson onde sua filha Edith, cuidou dele até que morreu de câncer na semana em que completaria 88 anos. Foi membro da American Physiological Society e da American Association of Anatomists, foi eleito para a National Academy of Sciences (1950) e, depois para a American Academy of Arts and Sciences. Recebeu graus honorários das Universidades de Uppsala, da Clark e da Rockefeller. Foi laureado com o Karl Spencer Lushly Award da American Philosophical Society (1959) e o Award of Merit (1986).

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados