Colégio Web

Fernando Antônio Nogueira de Seabra Pessoa

Publicidade

Poeta português nascido em Lisboa, crescentemente reconhecido como o maior poeta português desde Camões. Filho da pequena burguesia lisboeta, aos cinco anos perdeu o pai, que era crítico musical. Em virtude do segundo casamento da mãe, foi levado (1896) para Durban, África do Sul, onde cresceu, fez os cursos correspondentes ao primeiro e segundo graus, e freqüentou a Universidade de Capetown. Fluente em inglês e, como anglicizado, teve depois dificuldades em reencontrar-se na vida portuguesa. Em Durban, escreveu os primeiros poemas (1901), em inglês, e regressou sozinho para Lisboa (1905). Matriculou-se no Curso Superior de Letras, em Lisboa (1906) mas abandonou o curso no ano seguinte, dedicando-se, como autodidata, a vastas leituras de filosofia e poesia. Passou a trabalhar como tradutor autônomo em escritórios comerciais (1908). Levou vida modesta, complementando sua renda pela confecção de horóscopos.

Suas primeiras poesias em português somente foram publicadas (1915) na revista Orfeu, onde criou um personagem, o mestre Alberto Caeiro. Criou e dirigiu a revista Atena (1924), juntamente com o amigo Ruy Vaz. Requereu (1926) patente de invenção de um Anuário Indicador Sintético, por Nomes e Outras Classificações, Consultável em Qualquer Língua, e dirigiu, com seu cunhado, a revista de Comércio e Contabilidade, e passou (1927) a colaborar com a revista Presença. Publicou Mensagem (1934), único livro em português que publicou em vida, e concorreu ao Prêmio Antero de Quental, do Secretariado de Propaganda Nacional. Por ser a obra muito pequena, segundo a justificativa alegada na ocasião, ganhou o segundo lugar.

Com uma obra altamente intelectualizada, muitas delas também ficaram durante sua vida inéditas pois quando vivo, seu talento era apenas reconhecido pelos círculos limitados da boêmia literária de Lisboa. Vivendo modestamente, conflituoso e sujeito a crises de depressão e alcoolismo, no ano seguinte, 30 de novembro, morreu na capital portuguesa, aos 47 anos. Suas obras completas foram publicadas postumamente em 8 volumes, a saber: Poesias de Fernando Pessoa (1942); Poesias de Álvaro de Campos (1944); Poemas de Alberto Caeiro (1946); Odes de Ricardo Reis (1946); Poemas dramáticos (1952); Poesias inéditas (1955-1956). Há traduções de sua obra em espanhol, francês, inglês, alemão, italiano e chinês, entre outras línguas.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados