Colégio Web

Edmund Spenser

Publicidade

Poeta renascentista britânico nascido em Londres, introdutor da poesia bucólica na Inglaterra. Filho de um modesto consertador de relógios, John Spenser, residente em Smithfield, Londres, entrou na escola dos Merchant Taylors, provavelmente a sua abertura (1561) onde estudou com o célebre humanista e escritor pedagógico Richard Mulcaster, onde estudou humanismo grego e latino; e enfaticamente o idioma latino e sua composição, além de ligeiramente grego e hebreu, e encorajado a escrever em verso. Depois de deixar escola (1569), matriculou-se como um sizar na Pembroke Hall, depois Pembroke College, Cambridge, com uma bolsa doada por um benfeitor. Em Pembroke, conheceu os mestres John Young, depois Bishop of Rochester, e Lancelot Andrewes, futuro Bishop of London, de grande influência em sua carreira na literatura, além de ter desenvolvido em forte e duradoura amizade com Gabriel Harvey.

Em Cambridge recebeu a influência das literaturas francesa, italiana e espanhola da época, começou a escrever poesia inspirado no platonismo, na linha de Petrarca e do contemporâneo Joachim du Bellay. Depois de obter o B.A (1573) e o M.A. (1576), deixou Cambridge para Kent onde foi secretário de John Young. Depois passou a trabalhar para o Conde de Leicester (1577) e entrou para o serviço público (1580) onde exerceu importantes cargos políticos e militares na Irlanda e participou ativamente da repressão aos católicos. Adquiriu o castelo de Kilkolman (1586), no condado de Cork, no qual viveu a maior parte da vida, mas acabou por ser expulso da Irlanda pelo povo de Cork que, revoltado com a impiedosa perseguição do poeta aos católicos, incendiou seu castelo (1598). Sua obra-prima, The Faerie Queene (1589-1596), uma obra épica sobre a luta entre católicos e protestantes, foi publicada em partes e deveria abranger 12 livros, mas ficou incompleta. Entre outras obras, o poeta publicou The Shepheardes Calender (1579), Epithalamion (1595), Fowre Hymnes (1596). Morreu em Londres e está sepultado na abadia de Westminster.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados