Colégio Web

Edgar Douglas Adrian

Publicidade

Eletrofisiologista britânico nascido em Londres, professor da Cambridge University (1920-1975) que dividiu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina (1932) com Charles Scott Sherrington, da Oxford University, pelo desenvolvimento nos estudos dos sistemas nervoso e muscular, com a descoberta da função dos neurônios. Segundo filho de Alfred Douglas Adrian, consultor jurídico da British Local Government Board, foi educado na Westminster School, Londres, e entrou para o Trinity College, Cambridge (1908), onde ganhou uma bolsa de estudos em ciências. Na Cambridge University estudou fisiologia e ciências naturais e obteve o B.A (1911) com honras. Foi escolhido (1913) Fellowship do Trinity College por sua investigação em princípios nervosos.

Estudou medicina e fez seu trabalho clínico no St. Bartholomew’s Hospital, Londres, e se diplomou em medicina (1915) no Trinity College, Cambridge. Depois de trabalhar durante um tempo em neurologia clínica, atuou no serviço médico na II Guerra Mundial e voltou a Cambridge (1919), onde passou grande parte de sua vida como pesquisador da Cambridge University. Casou-se (1923) com Hester Agnes Pinsent com quem teve um filho e duas filhas. No mesmo ano tornou-se Fellow da Royal Society e dois anos depois (1925) começou a investigar os órgãos do sentido através de métodos elétricos. Foi eleito Foulerton Professor da Royal Society (1929) e sucedeu Sir Joseph Barcroft (1872-1947) como Professor de fisiologia na University of Cambridge (1937-1951). Foi eleito Master do Trinity College, Cambridge, (1951) e morreu em Londres.

Pesquisador em eletrofisiologia do cérebro e do sistema nervoso, foi esse fisiologista inglês quem descobriu (1928) que os neurônios dos sentidos respondem a estímulos como um toque na pele com uma seqüência de descarregamentos e recarregamentos. Quanto mais intenso o estímulo, mais vezes o neurônio se descarrega; mas a cada vez, o descarregamento é sempre igual. Isso quer dizer que os neurônios indicam a presença e intensidade do estímulo se descarregando mais ou menos vezes, e não simplesmente um pouco mais ou um pouco menos. Publicou numerosos papers científicos e três livros em eletrofisiologia: The Basis of Sensation (1927), The Mechanism of Nervous Action (1932) e The Physical Basis of Perception (1947). Com outros cientistas escreveu Factors Determining Human Behaviour (1937) e recebeu muitas honrarias em várias partes do mundo.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados