Colégio Web

David Friedrich Strauss

Publicidade

Filósofo e teólogo protestante alemão nascido em Ludwigsburg, perto de Stuttgart, pioneiro na interpretação bíblica do Novo Testamento do ponto de vista mitológico. Estudou em Berlim com Hegel e integrou os jovens hegelianos e com seu Glaubensiehre Strauss fêz exame da licença em teologia (1828). Professor da Universidade de Tübingen, adotou os princípios de uma crítica histórica radical no estudo do Novo Testamento. A publicação de seu primeiro grande trabalho, Das Leben Jesu kritisch bearbeitet (1835-1836), onde demonstrou que os milagres de Cristo seriam mitos, causou escândalo e custou sua demissão da universidade. Com Die christliche Glaubenslehre in ihrer geschichtlichen Entwicklung (1840-1841), rompeu definitivamente com a igreja protestante.

Casou (1841) com a bela cantora de ópera Agnes Schebest, de quem separou-se cinco anos mais tarde, quando já tinham duas crianças. Exerceu um mandato de deputado após a revolução (1848), mas não se deu bem como político e retirou-se logo depois da vida pública e recomeçou sua atividade literária pela publicação do Der Claren de Thron do dem do auf de Der Romantiker, uma sátira comparativa entre Juliano o apóstata e o Frederick William IV da Prússia (1847). Escreveu também uma série de trabalhos biográficos, que fixaram para ele um lugar permanente na literatura alemão, como Schubarts Leben, 2 vols. (1849), Morklin Christian (1851), Nikodemus Frischlin (1855), Ulrich von Hutten , 3 vols. (1858-1860) e H.S. Reimarus (1862). Morou em Darmstadt (1865-1872), ondwe publicou (1870) suas leituras sobre Voltaire. Ainda publicou outra obra polêmica Der alte und der neue Glaube (1872), obra sobre a vida de Jesus, em que rompeu com toda e qualquer religião e na qual se mostrou totalmente materialista. Doente, voltou a viver em Ludwigsburg, onde morreu dois anos depois.

Recomendados para você

Comentários

+ Artigos relacionados